PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
8 meses

Mãe de trigêmeos intubada por covid reúne todos os 6 filhos após 80 dias

Caroline Gotardo venceu à covid-19 e reuniu os filhos pela primeira vez em casa após 80 dias - Arquivo Pessoal
Caroline Gotardo venceu à covid-19 e reuniu os filhos pela primeira vez em casa após 80 dias Imagem: Arquivo Pessoal

Abinoan Santiago

Colaboração para o UOL, em Florianópolis

19/05/2021 11h57

Depois de mais de 80 dias, a família da autônoma Caroline Grimaldi Gotardo, de 39 anos, conseguiu reunir todos os seis os filhos, o que ela considera ser "um milagre". Ela deu à luz trigêmeos enquanto estava internada com covid-19 e todos precisaram de tratamento na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), em Chapecó, em Santa Catarina.

O último a sair do hospital foi Théo, que chegou em casa no domingo (16). As irmãs Alice e Manuela receberam alta antes, em 29 de abril. Eles nasceram prematuros, com 30 semanas, em 24 de fevereiro, e foram para UTI ganhar peso, mesmo depois de a mãe deles ter ganhado alta.

A autônoma chegou a ser intubada, mas conseguiu se recuperar, deixando o hospital sem os bebês no colo, em 23 de março. Ao UOL, ela não esconde a emoção de finalmente segurar os bebês nos braços e reunir toda a família, em Maravilha (SC), cidade onde moram.

"Com certeza foi um milagre. Minha irmã diz que eu bati na porta e Deus disse: 'Volta'. Por todas as complicações que tive durante a intubação, por ter acordado e por me recuperar bem, digo que é um milagre. O que me deu forças e me ajudou passar tudo isso foi minha família e a grande quantidade de amigos e pessoas desconhecidas orando e fazendo novenas, promessas, correntes, seguranças, proteção. Eram várias religiões na mesma vibração", afirmou.

Trigêmeos de Caroline Gotardo receberam alta após parto prematuro - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Trigêmeos de Caroline Gotardo receberam alta após parto prematuro
Imagem: Arquivo Pessoal

Antes dos trigêmeos, Caroline e o marido Irno Gotardo, de 43 anos, já cuidavam de outros três filhos: Gustavo, de 17 anos, de Giovana, de 11, e Ana Lívia, de 2. A autônoma conta que ao chegar em casa sem os três bebês, se viu em meio a vários sentimentos.

Quando eu ganhei alta foi uma alegria por ver meus três filhos em casa, pois não os via há 30 dias. Por outro lado, também tristeza por estar deixando três filhos no hospital sem saber por quanto tempo. (...) Foi algo sensacional poder pegar meus filhos no colo"

Nova rotina

Com todos recuperados em casa, agora a família tenta se adaptar à nova rotina com o dobro de filhos após o nascimento dos bebês. Aos poucos, segundo Caroline, ocorrem os ajustes para as crianças receberam atenção e cuidado dos pais.

"Depois da alta do Théo tivemos que criar uma nova rotina, que ainda está bagunçada. Aos poucos, vamos nos ajustando. Minha mãe ficou uma semana aqui ajudando, agora temos que nos virar e dar conta", afirma.

Caroline Gotardo, de 39 anos, deu à luz a trigêmeos - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Caroline Gotardo, de 39 anos, deu à luz a trigêmeos
Imagem: Arquivo Pessoal

Parto em meio à covid-19

Apenas um dia após dar à luz trigêmeos, Caroline Gotardo precisou ser intubada por complicações da covid-19. Ela estava na UTI do Hospital Regional do Oeste, em Chapecó.

O casal descobriu a gravidez em agosto de 2020. Com outros três filhos, ambos ficaram surpresos com a gestação. O susto foi ainda maior quando realizaram os primeiros ultrassons.

"Para a gente foi uma surpresa, porque não havíamos planejado, mas tudo bem, e seguimos em frente. No primeiro ultrassom, veio outra surpresa. Eram gêmeos, algo que nunca imaginávamos. Depois de 15 dias, o segundo exame apontou trigêmeos. De repente, de três passamos a ter seis filhos", disse Irno Gotardo.

A família mora em Maravilha, na região oeste catarinense. Como a gravidez de Caroline era considerada de risco, ela precisou se dedicar aos cuidados com a gestação com consultas rotineiras para acompanhar o desenvolvimento dos bebês.

Ao procurar atendimento médico em 8 de fevereiro no HRO, em Chapecó, precisou ficar internada para exames diários. Ela retornou dia 15 para Maravilha e sentiu os primeiros sintomas da covid-19 em menos de 24 horas.

O retorno ao HRO aconteceu em 22 de fevereiro devido ao avanço dos sintomas provocados pelo novo coronavírus. Dois dias depois, os bebês vieram ao mundo por cesárea em razão da dificuldade na gestação.

Cotidiano