PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

PF realiza operação contra tráfico internacional de pessoa no Rio

Operação da PF, batizada de "Kinder", investiga adoção ilegal de criança recém-nascida - Divulgação/PF
Operação da PF, batizada de "Kinder", investiga adoção ilegal de criança recém-nascida Imagem: Divulgação/PF

Colaboração para o UOL

11/06/2021 10h14Atualizada em 11/06/2021 14h25

A PF (Polícia Federal) deflagrou hoje uma operação para reprimir o tráfico internacional de pessoa para adoção ilegal. A ação foi batizada de "Kinder".

Os agentes cumpriram mandado de busca e apreensão na casa da mãe de uma criança traficada, no bairro Anchieta, na zona norte do Rio de Janeiro.

As investigações começaram em agosto do ano passado e, segundo a PF, demonstraram "associação de esforços entre os participantes do esquema criminoso para viabilizar o registro ideologicamente falso de criança recém-nascida". Assim, o pai biológico que constava na certidão do bebê era um cidadão angolano de cidadania portuguesa, mas que residia na Alemanha.

A PF informou que foi possível comprovar que a criança deixou o Brasil em fevereiro do ano passado, quando foi levada para a Alemanha. O órgão afirmou que vai encaminhar os fatos para as autoridades do país.

Os suspeitos vão responder pelo crime de adoção ilegal de criança, adolescente, pessoa idosa ou com deficiência. A pena pode chegar a 8 anos de prisão, aumentada de um terço até metade por a vítima ter sido retirada do território nacional.

Cotidiano