PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Filhos reencontram pai depois de 28 anos com a ajuda de campanha de DNA

Pai estava morando em sítio em distrito a apenas 10 km de distância dos filhos - Divulgação/ Polícia Civil MT
Pai estava morando em sítio em distrito a apenas 10 km de distância dos filhos Imagem: Divulgação/ Polícia Civil MT

Colaboração para o UOL, em São Paulo

21/06/2021 20h55Atualizada em 21/06/2021 20h55

Depois de quase três décadas, o motorista Devarley de Jesus reencontrou o pai, Antônio Santana, de quem não tinha notícias há 28 anos.

Devarley e o irmão moram em Cuiabá (MT). O final feliz para a história foi possível graças à Campanha Nacional de Coleta de Banco de Dados para Cadastro de DNA, dedicado a famílias de pessoas desaparecidas.

Em 2017, o motorista registrou um boletim de ocorrência informando que o pai desapareceu em 1993. Na época, Devarley não tinha muitas informações do pai e sabia apenas o primeiro nome dele, acreditando inclusive que ele já havia falecido.

Ao ser chamado pela Polícia Civil na semana passada, para oferecer possíveis novos detalhes ao perfil, ele apresentou mais informações sobre o pai, como o sobrenome e o primeiro nome da avó materna.

Com base nos novos dados, a equipe do Núcleo de Pessoas Desaparecidas fez uma busca no sistema de pesquisas das forças policias e constatou que um homem que poderia ser o pai do motorista estava morando na região de Cuiabá.

Os investigadores foram até o Distrito de Nossa Senhora da Guia, a apenas 10 km de onde os filhos de Antônio moram, e localizaram o idoso.

Com a confirmação da identidade, os policiais marcaram um encontro entre o pai e os filhos para a sexta-feira (18).

Antônio relatou à polícia que no ano em que desapareceu havia perdido o emprego em uma construtora que entrou em falência e se mudou para Alta Floresta, na região norte do estado, em busca de emprego.

Ele disse ainda que a falta de formação superior o atrapalhou na carreira e que perdeu contato com a antiga companheira e nunca mais soube do paradeiro dela e de seus filhos, na época pequenos.

Antônio se casou novamente e teve outra filha, que também já conheceu os dois irmãos.

Pessoas Desaparecidas

A Polícia Civil de Mato Grosso criou um banco de dados em uma página na internet para divulgar informações e auxiliar na localização sobre pessoas desaparecidas no estado.

A nova ferramenta dá mais visibilidade e auxilia a população a colaborar para localização de pessoas que estão desaparecidas em diferentes cidades de Mato Grosso e também em outros estados.

Para saber mais: https://www.sejusp.ms.gov.br/sejusp-inicia-campanha-de-coleta-de-dna-de-familiares-para-localizar-desaparecidos-no-mato-grosso-do-sul/

Cotidiano