PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Procurador atira contra cunhado e acerta a própria mãe no Distrito Federal

Caso foi registrado na delegacia da Asa Sul, em Brasília - Reprodução/Globo
Caso foi registrado na delegacia da Asa Sul, em Brasília Imagem: Reprodução/Globo

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/07/2021 14h10Atualizada em 26/07/2021 22h16

Um servidor público federal foi preso no Distrito Federal após atirar contra o cunhado e atingir a própria mãe. De acordo com a TV Globo, o caso ocorreu na zona administrativa de Lago Sul, em Brasília. O homem, que não teve sua identidade revelada, foi preso.

Na casa, policiais encontraram uma série de armas. Ao todo, eram 9 armas de fogo, uma espingarda de pressão e centenas de munições. As autoridades foram acionadas por alguém de dentro da casa, que informou que uma senhora havia sido ferida pelo filho, que ainda estaria fazendo outros parentes de refém.

"O indivíduo que realizou os disparos se trancou em um quarto e a equipe policial iniciou a negociação para a rendição dele. Após de uma hora e meia de negociação, o indivíduo se entregou de livre e espontânea vontade", afirmou Aspirante Braz, policial militar.

A polícia também encontrou uma garrafa de uísque no quarto e trabalha com a possibilidade do homem ter tido um surto psicótico.

"O indivíduo alega que houve uma discussão familiar entre ele e o cunhado e que ele não desejava atingir a mãe", afirmou Braz.

A mulher foi atingida no braço e foi levada ao hospital. Ela estava consciente e com o quadro estável.

À Globo, o advogado do procurador, Karlos Mares, afirmou que o cliente está disposto a prestar todos os esclarecimentos necessários. Segundo ele, as armas que estavam na residência eram do pai do homem, que era militar, e que teriam ficado com a família após sua morte. Ninguém na família possui porte de arma.

Mares ainda afirmou que o procurador disparou em "legítima defesa".

Cotidiano