PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Ciclista anda em meio a dezenas de jacarés no Pantanal; assista

Fernando, que é artista plástico, mostrou travessia por região lotada de jacarés  - Reprodução/Instagram
Fernando, que é artista plástico, mostrou travessia por região lotada de jacarés Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

27/07/2021 18h46Atualizada em 28/07/2021 08h27

O artista plástico e escultor Fernando Bessa, de 39 anos, ganhou atenção nas redes sociais ao compartilhar um vídeo andando em meio a dezenas de jacarés no Pantanal mato-grossense, nas proximidades da rodovia Transpantaneira.

Habituado a pedalar e fazer trilhas na região, ele conta que filmou as imagens impressionantes no domingo (25), com a intenção de destacar o possível convívio harmonioso entre animais e seres humanos. Ele inclusive desce da bicicleta que utilizava para fazer o caminho e decide seguir a pé, depois de perceber a movimentação dos répteis com o barulho.

"Meu objetivo foi mostrar que a gente consegue viver em perfeita harmonia, eu não estava ali desafiando os animais. a partir do momento em que eu desci da minha bicicleta ali, foi em sinal de respeito, respeito a eles, o espaço deles, e quando você faz trilha no Pantanal, igual eu faço, eu me deparo com vários bichos, é algo diário, corriqueiro", conta Fernando ao UOL.

Apesar da decisão de seguir o caminho em meio aos jacarés, ele destaca que essa foi a primeira vez que ele chegou tão perto dos animais no Pantanal. O artista conta que se surpreendeu negativamente ao receber críticas e ofensas pelo vídeo, reforçando que não teve a intenção de desafiar os jacarés e sim mostrar harmonia com eles.

"Recebi muitas críticas e ameaças, mas o objetivo não foi maltratar ou chatear alguém, ou até mesmo desafiar algumas pessoas, pelo contrário", afirma. "Talvez, se fosse um carro ali, teria passado por cima dos jacarés, mas eu quis mostrar para as pessoas que se você tiver um respeito dá pra viver em harmonia uns com os outros e com os animais", concluiu.

Mas apesar de exaltar a relação com o meio ambiente, Fernando deixa claro que não incentiva outras pessoas a imitarem sua atitude, já que é necessário experiência e respeito para conseguir lidar com os animais da região.

O biólogo Gustavo Figueirôa, que faz parte da equipe da organização SOS Pantanal, fez coro ao conselho, explicando que os jacarés do Pantanal tendem a fugir em vez de atacar, mas que ainda assim o risco de ser mordido por um deles existe.

"Perigoso é, porque o jacaré é um animal que tem dentes bem aparentes, isso é bem claro, e uma mordida pode causar um ferimento grave, até arrancar uma mão, um pé. Mas os jacarés, principalmente um jacaré do Pantanal, que é um bicho pequeno, que não é tão agressivo, a tendência dele é fugir. Então essa cena que a gente viu lá é uma coisa bem esperada, o cara passou de bicicleta e os bichos saíram andando", detalhou.

Figueirôa, que tem experiência como fotógrafo dos animais da região, explica que essa cautela é necessária inclusive na documentação das espécies pantaneiras.

"Isso acontece quando a gente tenta se aproximar deles, até pra tirar foto, a gente tem que se aproximar com muita cautela, porque a tendência deles é correr para a água. Mas com certeza ele (Fernando) correu um risco, porque se algum animal ali está mais estressado, pode acontecer de virar e morder, porque ele estava bem próximo", conclui o biólogo.

Cotidiano