PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
2 meses

Nego Leo, líder de facção gaúcha que teria elo com PCC, é preso no Paraguai

Leonardo de Souza, mais conhecido como "Nego Leo", foi preso ontem no Paraguai - Polícia Civil do Rio Grande do Sul
Leonardo de Souza, mais conhecido como 'Nego Leo', foi preso ontem no Paraguai Imagem: Polícia Civil do Rio Grande do Sul

Do UOL, em São Paulo

12/08/2021 12h40Atualizada em 13/08/2021 07h01

Leonardo de Souza, mais conhecido como "Nego Leo", foi preso ontem em Pedro Juan Cabalero, cidade paraguaia na fronteira com o Mato Grosso do Sul. Ele atuava em uma das principais facções criminosas do Rio Grande do Sul e estava foragido desde 2016.

Segundo a Polícia Civil do Rio Grande do Sul, 'Nego Leo' era o braço direito de 'Nego Jackson', principal chefe da Anti Bala, uma das maiores e mais violentas facções gaúchas e que teria ligação com outra facção criminosa, o PCC (Primeiro Comando da Capital).

Leonardo era o único integrante da chefia da facção que ainda estava solto e seguia comandando o tráfico e ordenando execuções no Rio Grande do Sul enquanto estava no Paraguai.

Após a prisão, o foragido sofreu processo de expulsão imediata do Paraguai. Ele deverá chegar ao Palácio da Polícia, em Porto Alegre, hoje às 17h.

"Mesmo de fora do Brasil, ele tinha o domínio gerencial dessa organização da qual era o segundo no comando e atuava na distribuição de dinheiro, armas e drogas, inclusive com tráfico internacional. Esse tipo de prisão, que ataca diretamente as lideranças, quebra o crime organizado e é fundamental na redução dos índices criminais, principalmente em delitos como os de homicídio", afirmou a diretora do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegada Vanessa Pitrez.

A operação em Pedro Juan Caballero mobilizou agentes da secretaria nacional antidrogas do país vizinho (Senad), da Polícia Federal e da Polícia Civil gaúcha.

Cotidiano