PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
5 meses

Justiça dá 48 h para veterinária entregar comprovante da 3ª dose da vacina

Jussara Sonnen exibe cartão de vacinação; veterinária comemorou tomar terceira dose da vacina contra covid - Reprodução/Facebook
Jussara Sonnen exibe cartão de vacinação; veterinária comemorou tomar terceira dose da vacina contra covid Imagem: Reprodução/Facebook

Ana Paula Bimbati

Do UOL, em São Paulo

14/08/2021 16h19

A Justiça de São Paulo decidiu ontem (13) que a veterinária Jussara Sonner deve entregar em até 48 horas o comprovante de imunização da terceira dose da vacina contra covid. Caso não cumpra o prazo, ela pagará multa de R$ 10 mil por dia.

Jussara afirmou em suas redes sociais ter tomado a vacina da Janssen, de dose única, após ter sido imunizada com as duas doses da CoronaVac no começo do ano.

O juiz Rafael Tocantins Maltez, da 2ª Vara da Fazenda Pública do Foro de Guarulhos, avaliou a atitude da veterinária como "tamanho egoísmo, que diga-se, é o mau da humanidade, e burlou o sistema, valendo-se da precariedade do posto de saúde ao qual se dirigiu, para tomar uma terceira dose".

"Fui em um bairro meio que de favela em Guarulhos, onde não havia computadores para verificação online. Uma sorte! Anotaram meus dados numa folha timbrada. Quando cair no sistema será tarde demais", disse a veterinária na publicação.

Ela chegou a publicar as fotos dos comprovantes, que mostram que ela foi vacinada com as duas doses da CoronaVac em 9 de fevereiro e 2 de março deste ano, na UBS Vila Fátima, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Já no dia 30 de junho, Jussara recebeu a vacina da Janssen.

Em uma outra publicação, a veterinária chegou a se referir a CoronaVac como "vachina". "Esperei o tempo necessário, três meses, e hoje consegui tomar a da Janssen. Agora me sinto mais protegida, é dose única e estou liberada para viajar para onde eu quiser. Agora sim que viro jacaré", completou.

Maltez apontou ainda a que ação, além de provocar possíveis riscos à saúde da veterinária, pois não se sabe os efeitos do cruzamento das vacinas, "retirou a oportunidade de imunização de outra vida".

Além da multa diária, a decisão prevê o bloqueio de R$ 50 mil de contas bancárias da veterinária para cobrir possíveis despesas do processo. O motivo dos valores, segundo o juiz, é para impedir que outras pessoas tenham "igual conduta".

O UOL tentou localizar o contato de Jussara para incluir seu posicionamento, mas não conseguiu. O espaço fica aberto para atualização.

Contra lockdown e a favor de tratamento precoce

Depois da repercussão do caso, a veterinária tirou do ar suas redes sociais, mas reportagem do UOLmostrou que Jussara já defendeu, em outras publicações, o tratamento precoce, que envolve medicamentos sem eficácia comprovada contra covid, e criticou medidas como o lockdown — medida restritiva para evitar a disseminação do coronavírus.

"Lockdown significa fiquem em casa, porque desviaram dinheiro da Saúde e não tem hospitais para salvar vocês", dizia um dos posts.

Ela também criticou políticos como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Mas mostrou apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Algumas das fotos nas redes sociais tinham ilustrações com frases como "#FechadosComBolsonaro" e "Tratamento Precoce Salva Vidas".

Cotidiano