PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Incêndio que dura 2 dias devasta reservas florestais em Presidente Prudente

Incêndio chegou a ser controlado mas novos focos voltaram a surgir nesta quinta-feira - Prefeitura de Presidente Prudente
Incêndio chegou a ser controlado mas novos focos voltaram a surgir nesta quinta-feira Imagem: Prefeitura de Presidente Prudente

Do UOL, em São Paulo

19/08/2021 20h53

Um incêndio de grandes proporções atingiu diversos pontos do município de Presidente Prudente, em São Paulo, e após dois dias de trabalho, continua fora de controle. O incidente chegou a ser contornado na tarde de hoje, mas dois novos pontos voltaram a queimar nas últimas horas. A informação foi confirmada pela Defesa Civil no município.

As chamas tiveram início na Mata do Furquim, entre as zonas leste e norte da cidade, ontem, e se alastraram devido à estiagem, tempo seco e às altas temperaturas na região. Em alguns trechos, elas chegaram a mais de 5 m de altura.

De acordo com o coordenador de defesa civil do município, Renato Gouvea, apenas após o controle efetivo será possível fazer o reconhecimento da área com um drone para ter a dimensão dos estragos ambientais sofridos, uma vez que, por terra, a temperatura ainda não permite o reconhecimento humano.

Apenas em uma das reservadas atingidas, cerca de 30 mil m² foram comprometidos. Não há registro de feridos. "As vítimas foram os animais e os danos são ambientais. Foram encontradas aves, tatus e cobras mortas. Seguimos junto aos bombeiros, brigadas e servidores da prefeitura lutando para extinguir as chamas", explicou Gouvea.

Incendio - Prefeitura de Presidente Prudente - Prefeitura de Presidente Prudente
Incêndio chegou a se espalhar e se aproximar de casas, destruindo grande área em reservas florestais
Imagem: Prefeitura de Presidente Prudente

De acordo com a prefeitura de Presidente Prudente, cinco grandes focos de fogo se formaram em reservas florestais, próximos ao Residencial Maré Mansa, do Parque Primavera, Alexandrina e Rodovia Ângelo Rena. As chamas chegaram a se aproximar do Residencial Moacyr Trentin, mas não houve imóveis queimadas.

Segundo análises preliminares, a administração do município trabalha com a hipótese que o incêndio tenha se formado devido a queimadas de terreno, para limpeza, por parte dos próprios moradores. "Essa prática é criminosa e, além dos graves prejuízos à vegetação, também causa danos à saúde pública por conta da fumaça.

Cotidiano