PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Assediada, mulher reage com mata-leão e ouve pedidos em defesa do suspeito

Luciana Cavalcante

Colaboração para o UOL

25/10/2021 20h46Atualizada em 26/10/2021 08h56

A auxiliar de cozinha paraense Bianca Barreto, de 30 anos, ficou conhecida em Belém após reagir a uma importunação sexual dentro de um ônibus. Praticante de muay thai e crossfit, ela deu um "mata-leão" — golpe de artes marciais para imobilizar a outra pessoa pelo pescoço — no homem que estaria esfregando o corpo no dela. A reação foi gravada por outros passageiros e o vídeo se espalhou nas redes sociais.

Bianca contou ao UOL que estava indo para casa, no município vizinho de Ananindeua (PA), após o treino de artes marciais, quando o incidente foi registrado. O suspeito entrou no coletivo na Avenida Pedro Álvares Cabral, cinco pontos após ela embarcar, em Belém.

"Eu não passei a roleta logo, porque o ônibus estava lotado. Ele estava perto de mim. Toda vez que alguém passava a roleta, ele saia e voltava para trás de mim, mesmo tendo espaço para ficar em outro lugar", lembra.

Isso a fez desconfiar do comportamento, mas ela preferiu esperar para ter certeza do que estava acontecendo. "Ainda fiz sinal para um passageiro que estava sentado para observar também. Eu sei como são as coisas. As pessoas julgam e dizem que é mimimi", desabafa. "Geralmente eles não falam nada, ficam roçando o corpo na gente aproveitando o momento que o ônibus está em movimento, quando tem uma freada ou pessoas passando".

Ao perceber ser vítima, Bianca desferiu um soco no rosto do homem, que negou o crime inicialmente, e só começou a pedir desculpas após vários golpes - foi quando acabou sendo imobilizado.

É a segunda vez que ela passa por isso em um ano. Nas duas, reagiu. O que mais surpreendeu a auxiliar de cozinha foi o fato dos passageiros não se compadecerem com o que ela estava passando. "Eles ficavam dizendo: solta, deixa ele descer e mandando o motorista abrir a porta. Outros estavam filmando. As pessoas só pensam nelas mesmas, querem chegar em casa".

Nesse momento, uma viatura da polícia militar passou e Bianca denunciou o homem aos agentes. O episódio foi registrado na seccional de polícia do bairro Cidade Nova.

Questionada sobre a possibilidade de flagrante ou passageiro responderia ao crime em liberdade, a Polícia Civil do Pará se limitou a confirmar que a denúncia foi formalizada e que "o caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher". O nome do suspeito não foi revelado e não foi possível confirmar, até o momento, se houve defesa constituída para representá-lo. Este espaço será atualizado tão logo haja manifestação.

Após o vídeo cair nas redes, o homem envolvido na ação, de cerca de 40 anos, trajado com a farda de uma empresa de eletrônicos, acabou reconhecido por seus empregadores e perdeu o emprego. "O RH entrou em contato comigo, pois ficou sabendo do caso através de clientes que viram o vídeo nas redes sociais, o reconheceram e cobraram uma providência. Assim que souberam, ele foi demitido". Segundo Bianca, ele teria informado à supervisão que faltaria ao trabalho por ter sido assaltado e "apanhado de bandidos".

Importunação sexual passou a ser considerada crime pela Lei 13.718 de 24 de setembro de 2018. É classificada por praticar contra alguém, sem a sua anuência, ato libidinoso com objetivo de satisfazer a própria lascívia ou de terceiro. A pena varia de 1 a 5 anos de prisão.

Cotidiano