PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Ação da PF investiga suposto crime de corrupção envolvendo prefeitos do PR

Operação Jaborandi, da PF, cumpre 28 mandados em municípios do Paraná e do Pará  - Divulgação/PF
Operação Jaborandi, da PF, cumpre 28 mandados em municípios do Paraná e do Pará Imagem: Divulgação/PF

Do UOL, em São Paulo

26/10/2021 07h32Atualizada em 26/10/2021 13h33

A PF (Polícia Federal) deflagrou na manhã de uma hoje uma operação que investiga supostos crimes de corrupção envolvendo prefeitos, servidores públicos e empreiteiros de cidades da região oeste do Paraná.

Na ação, batizada de Jaborandi, são cumpridos 28 mandados em Umuarama (PR), Boa Vista da Aparecida (PR), Perobal (PR), Três Barras (PR), Santa Helena (PR), Guaíra (PR) e Uruará (PA).

Conforme a PF, a ação dá continuidade à investigação que começou há cerca de um ano após denúncias de que empreiteiros estariam se reunindo em conluio com prefeitos para fraudar a competição de processos de licitação envolvendo o setor de obras de municípios da região.

Ainda segundo a PF, ao longo das investigações foi possível identificar ao menos duas organizações criminosas "estruturalmente ordenadas e com atuações bem definidas" sob anuência e coordenação dos prefeitos de Boa Vista da Aparecida e Umuarama, que está afastado do cargo.

Segundo o delegado Mateus Marins Correa de Sá, em uma das licitações o objeto era uma pavimentação urbana e os investigadores identificaram um disque-chopp da região entre as empresas concorrentes.

"As equipes se depararam com fortes indícios de crimes em pelo menos cinco licitações que ocorreram nesses municípios. Trata-se, em verdade, de dois grupos criminosos envolvendo empreiteiros, agentes públicos e políticos da região que se uniam com o intuito de direcionar as licitações, utilizar quantitativos a menor do que o previsto no contrato e, ao final, pulverizar os valores obtidos de forma ilícita entre os seus integrantes", explicou o delegado.

Os investigados, na medida de suas participações, poderão responder pelos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, fraude ao caráter competitivo de procedimento licitatório, organização criminosa e lavagem de dinheiro, cujas penas, somadas, podem chegar a 62 anos de prisão.

O nome da operação faz referência à estrada Jaborandi, localizada no município de Umuarama, uma das primeiras obras que originaram a investigação.

O UOL procurou a prefeitura de Umuarama e tenta contato com a prefeitura de Boa Vista da Aparecida. O espaço está aberto para manifestação.

Cotidiano