PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Feto achado congelado após quase 1 ano em BH era uma menina, diz delegado

Do UOL, em São Paulo

01/12/2021 13h52Atualizada em 01/12/2021 15h41

O corpo do bebê que foi encontrado congelado dentro de um freezer por uma dona de casa em Belo Horizonte, ontem, era de uma menina. A informação foi divulgada pela Polícia Civil de Minas Gerais. A mãe da criança ainda não foi localizada.

"Já sabemos que é um cadáver do sexo feminino. Agora precisamos responder algumas questões: foi um aborto natural ou não foi um aborto natural? Houve o parto e depois esse corpo foi guardado?", disse o delegado Rômulo Dias, responsável pelas investigações, em entrevista ao "MG1", da TV Globo.

"Certo é que nós já estamos diante de um crime, este crime está claro, é o crime de ocultação de cadáver previsto no artigo 211 do Código Penal brasileiro, com pena de um a três anos de reclusão", acrescentou o delegado.

Segundo Dias, a polícia vai esperar a conclusão dos exames no corpo do bebê para procurar a mulher que entregou o saco com o corpo do bebê à dona de casa, em outubro do ano passado.

Entenda o caso

Uma dona de casa chamou a polícia na noite de ontem, depois de encontrar um feto congelado em um saco plástico na geladeira de sua residência, no bairro bairro Flávio Marques Lisboa, em Belo Horizonte.

Segundo a Polícia Militar, a mulher de 56 anos recebeu em outubro do ano passado um saco de uma conhecida identificada como Grazi, que prestava alguns serviços de casa para ela. Na ocasião, Grazi pediu que a dona de casa guardasse um saco plástico preto com carne, pois ela não tinha geladeira.

A dona de casa relatou que ficou com o saco, pensando que se tratava de fato de carne, e o colocou no freezer. Com o passar do tempo, ela passou a indagar Grazi, via mensagens de WhatsApp, sobre quando ela buscaria o pacote. A mulher dizia que iria retirá-lo, mas nunca aparecia.

Na noite de ontem, a dona de casa relatou ter se surpreendida ao identificar o pé de um bebê dentro do saco.

"Constatou-se tratar de um feto mesmo. A perícia foi acionada, e o perito relatou que não era possível identificar o sexo do feto, uma vez que este estava congelado", diz o boletim de ocorrência.

A dona de casa informou os contatos da mulher identificada como Grazi e a descreveu como sendo "morena, um pouco acima do peso, com aproximadamente 1,60 de altura e de cabelos anelados e escuros".

Cotidiano