PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Com cheia de rio, peixes aparecem em pista de aeroporto em Ilhéus, na Bahia

Bombeiros do aeroporto de Ilhéus (BA) fizeram o manejo adequado dos animais que invadiram a pista   - Divulgação
Bombeiros do aeroporto de Ilhéus (BA) fizeram o manejo adequado dos animais que invadiram a pista Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

25/12/2021 20h22Atualizada em 25/12/2021 21h05

Peixes foram vistos na pista do aeroporto de Ilhéus, no sul da Bahia, após o rio Cachoeira, que corta a cidade, subir e transbordar em razão das fortes chuvas que atingem a região. As operações dos voos não chegaram a ser afetadas, de acordo com a concessionária que administra o local.

O fato inusitado foi divulgado por meio de fotos e vídeos nas redes sociais. Um dos usuários do Twitter brincou com a situação ao postar o vídeo de um peixe se debatendo na pista: "As chuvas que caíram em Ilhéus deixaram o Aeroporto de Ilhéus interditado. Causa: peixes na pista".

Em nota enviada à reportagem, a concessionária do aeroporto de Ilhéus informou que o nível do rio Cachoeira se elevou fazendo com que peixes buscassem abrigo no sistema de drenagem do aeroporto na manhã deste sábado. "Sob orientação da equipe de Meio Ambiente do Aeroporto, os Bombeiros do Aeródromo atuaram imediatamente no manejo adequado dos animais", disse a nota.

Chuvas intensas e estragos

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), determinou hoje a instalação de uma base de apoio em Ilhéus para auxiliar as operações de apoio aos municípios afetados pelas chuvas que atingem o sul e sudoeste do estado nos últimos dias.

Ao menos 19 cidades estão sendo atingidas e 66 continuam em estado de emergência desde que fortes chuvas começaram a atingir o sul da Bahia neste mês deixando inúmeros desabrigados e desalojados e 17 mortos.

Na manhã de hoje, o governador se reuniu com secretários, Defesa Civil e Corpo de Bombeiros elaborou medidas para recuperar serviços essenciais que foram afetados. Costa também falou por telefone com o ministro da cidadania, João Roma, que disponibilizou a estrutura do Governo Federal para auxiliar nas ações pelo estado.

Desde a última quinta-feira (23), prefeituras de várias cidades vêm alertando para o aumento no nível dos rios. Ontem (24), alguns municípios voltaram a registrar alagamentos e interdições. Em alguns locais, moradores precisaram se locomover usando barcos.

Com isso, subiram os números de desabrigados e desalojados. Até a tarde de ontem, a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec) e as prefeituras dos municípios atingidos contabilizaram 4.185 desabrigados e 11.260 desalojados. Todos tiveram de deixar suas casas, mas, no caso dos desabrigados, os cidadãos necessitam de assistência do governo para ter uma moradia temporária.

O número de feridos subiu para 286 e a população total atingida chega a 378.286. Desde o início do mês, 17 pessoas morreram em decorrência dos estragos causados pelas tempestades.

Cotidiano