PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
3 meses

Fazendeiro denunciado por abandono de búfalos em Brotas é preso

Luiz Augusto Pinheiro de Souza - Reprodução/TV Globo
Luiz Augusto Pinheiro de Souza Imagem: Reprodução/TV Globo

Do UOL, em São Paulo

27/01/2022 22h02Atualizada em 27/01/2022 22h04

O fazendeiro Luiz Augusto Pinheiro de Souza, de 61 anos, foi preso preventivamente na tarde de hoje por agentes do DOPE (Departamento de Operações Policiais Estratégicas) da Polícia Civil. Ele é investigado por crimes contra o meio ambiente após policiais terem encontrado mais de mil animais em situação de abandono, além de 22 carcaças enterradas em uma vala na fazenda São Água Sumida, em Brotas (SP), no ano passado.

De acordo com a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo), a prisão ocorreu em São Vicente, no litoral paulista. Luiz havia alugado um imóvel na cidade desde dezembro de 2021, em nome de um terceiro.

O caso das búfalas teve início no dia 6 de novembro de 2021. Na época, Luiz, que é proprietário da fazenda São Água Sumida, foi multado em mais de R$ 2 milhões e chegou a ser preso, mas foi libertado após pagar fiança. Com a repercussão do caso, ativistas e ONGs de defesa animal se mobilizaram para cuidar e tratar dos animais.

Em dezembro, o MP denunciou o dono da fazenda por crime de maus-tratos contra 991 bubalinos e cavalos vivos, além de 137 animais encontrados mortos. Ele também foi denunciado por ameaça, falsidade ideológica e falsificação de documentos. A promotoria pediu sua prisão preventiva, que não chegou a ser decretada pelo juízo local, mas, na época, havia sido determinada pelo TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

O UOL entrou em contato com a defesa do fazendeiro e aguarda retorno.

Cotidiano