PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Vídeo: Polícia busca por peladão que invadiu e furtou choperia no DF

Colaboração para o UOL

18/05/2022 20h56

A Polícia Civil está procurando pelo homem que invadiu e furtou uma choperia que fica no Flamingo Shopping, nas dependências do Salão do Automóvel, no Distrito Federal. Ele foi flagrado pelas câmeras de monitoramento do estabelecimento completamente sem roupas, depois de comer, beber e danificar equipamentos. O fato de ter ficado pelado ajudou nas investigações, pois as tatuagens do corpo gravado permitiram a identificação do suspeito nesta semana.

Segundo informações da polícia, ele revirou toda loja, subtraiu mercadorias e pertences dos funcionários, se alimentou e ficou à vontade a ponto de tirar toda roupa enquanto agia, no dia 7 de abril.

"Nós já tinhamos uma quase identificação e, com a divulgação pela imprensa, a gente recebeu tantas denúncias que dão conta de identificá-lo", afirmou a delegada Jane Klebia, que está cuidando do caso. "Mas ainda é recente para fazer a confirmação".

Jane afirmou que o homem deve responder por furto qualificado com arrombamento porque, segundo ela, além de ele ter arrombado a entrada de um estabelecimento, teve que passar por obstáculos para chegar até a choperia.

"Ele, na verdade, entrou por intermédio de outra loja. Ele força uma porta e abre. Ele entra numa loja vazia e aí acessa o forro, e pelo forro, ele entra no bar", conta a delegada. "Ele entrou e ficou muito tempo ali dentro. Queremos entender o que aconteceu porque ele entra vestido e come, bebe, fica nervoso, quebra algumas coisas. Ele danificou uma geladeira. E começa a tirar a roupa".

Segundo a delegada, além das informações obtidas durante a perícia, a polícia conseguiu agora uma digital. "O interessante é que ele é todo tatuado, tem um nome, "Melissa", no meio das costas, uma cruz no meio da testa. Por isso, foi fácil a identificação".

A polícia suspeita que o homem possa estar em situação de rua e que, provavelmente, estava sob efeito de entorpecentes quando decidiu entrar no comércio.

Cotidiano