PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Conteúdo publicado há
1 mês

Suspeito de matar universitária que fazia caminhada é preso em SP

Mayara foi encontrada morta após sair para caminhar - Reprodução/ Facebook
Mayara foi encontrada morta após sair para caminhar Imagem: Reprodução/ Facebook

Simone Machado

Colaboração para o UOL, em São José do Rio Preto (SP)

18/05/2022 14h37Atualizada em 18/05/2022 18h14

Michael Douglas da Silva, 26, suspeito de matar a universitária Mayara Roquetto Valentim, 23, em São João da Boa Vista (SP), no último domingo (15), foi preso na tarde desta quarta-feira (18). Ele também é suspeito pela tentativa de homicídio contra uma vizinha dele, 24 horas antes da estudante de biologia sair para fazer uma caminhada e desaparecer.

Segundo informações da Polícia Civil, o suspeito foi encontrado escondido em uma área de mata na Serra da Paulista, entre as cidades de São João da Boa Vista e Águas da Prata. O homem sofre de esquizofrenia e vinha sendo procurado desde a noite de sábado.

A suspeita é que, após tentar matar a tiros a vizinha, e a arma falhar, ele tenha ido para a região da Serra Paulista se esconder. Foi lá em que Mayara foi morta com 28 facadas.

O morador de um sítio local relatou aos policiais que o suspeito pediu comida em sua propriedade. Um cerco com mais de 40 policiais foi feito nas proximidades e Michael foi encontrado. Com ele, segundo os policiais, estavam o celular de Mayara, um canivete, que pode ter sido usado para matar a universitária e uma arma garrucha.

Na delegacia, o suspeito disse aos policiais que teria tentado assaltar a universitária, mas ela reagiu.

"Ele nos contou que estava naquela região da trilha desde a noite anterior, depois que fugiu da pensão onde ele mora. A Mayara teria parado para descansar durante a caminhada, momento em que foi abordada. A intenção era roubar a universitária para fugir da cidade, mas ela teria reagido e tentado correr", disse o delegado Fabiano Antunes de Almeida.

Michael vai passar por audiência de custódia e deverá ser encaminhado para uma penitenciária da região. Segundo a polícia, ele ainda não possui defesa constituída. Este espaço será atualizado tão logo haja manifestação de seus representantes legais.

No quarto do suspeito, foram encontradas imagens suásticas e menções a Lázaro Barbosa - homem suspeito de matar uma família em Ceilândia (DF) e fugir em meio à mata por 20 dias. Uma força-tarefa foi feita para encontrar Lázaro, morto ao trocar tiros com a polícia.

suspeito - Divulgação/ Polícia Civil - Divulgação/ Polícia Civil
Michael Douglas da Silva estava escondido em área de mata
Imagem: Divulgação/ Polícia Civil

Relembre o caso

Segundo a Polícia Civil, por volta das 11h, Mayara teria saído de casa e não retornou. Estranhando a demora da jovem, familiares dela relataram o desaparecimento à polícia e promoveram buscas, com amigos, na área de mata em que ela caminharia.

O corpo de Mayara foi encontrado com ferimentos de faca no braço, mão, tórax e cabeça, por um amigo da família que ajudava nas buscas. Ela estava em uma ribanceira onde havia diversas pedras.

Um chinelo do suspeito foi encontrado por cães farejadores a cerca de 400 metros do local onde o corpo de Mayara foi encontrado.

Uma lona também foi localizada por um cão farejador, o que sinalizava que o suspeito teria dormido na região de mata após fugir do local onde teria praticado a tentativa de homicídio contra a vizinha, na noite do sábado — o que indica que Mayara estaria "no lugar errado e na hora errada" quando foi morta.

A estrada da Serra da Paulista, onde Mayara foi encontrada, tem 18 km de extensão e faz parte do circuito da Caldeira do Vulcão de Poços de Caldas e do Caminho da Fé. O local é bastante frequentado por moradores da cidade e também por romeiros.

*Reportagem em atualização

Cotidiano