PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

Polícia: Ex admite ter matado grávida e colocado em mala durante 'saidinha'

Cíntia Silva dos Santos desapareceu na quinta (16) após sair de casa para encontrar namorado - Reprodução/Facebook
Cíntia Silva dos Santos desapareceu na quinta (16) após sair de casa para encontrar namorado Imagem: Reprodução/Facebook

Do UOL, em São Paulo

23/06/2022 11h23Atualizada em 23/06/2022 15h44

O ex-namorado de Cíntia Silva dos Santos, 22, confessou ter assassinado a mulher, segundo o delegado responsável pelo caso, Paul Henry Verduraz. A vítima, que estava grávida, foi encontrada morta dentro de uma mala em uma região de mata na Estrada da Volta Fria, em Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, na segunda (21).

Ela foi vista pela última vez na quinta-feira (16), quando entrou em um carro de aplicativo para encontrar o suspeito, segundo relato de familiares. O homem, que já foi preso por violência doméstica e estupro, teria dito que matou Cíntia depois de saber de sua gravidez e do novo relacionamento amoroso da jovem, com o ex-padrasto.

"Ele confessou esse crime para nossa equipe. Eles vinham se encontrando durante as saídas que ele recebia de benefício da Justiça e nessa última saída, durante o feriado de Corpus Christi, ele recebeu duas notícias que impactaram bastante: que ela estava grávida e que ela estava se relacionando com o padrasto, em troca de moradia", declarou o delegado à TV Diário, afiliada da TV Globo na região.

"Ele ficou bastante nervoso. Eles tiveram uma discussão e saíram de casa para se acalmar, foram para uma biqueira consumir drogas e, nesse trajeto, na rua, ele encontrou uma faca e atacou ela com essa faca. Ele teria matado ela na rua e ocultado o corpo em um matagal, em um primeiro momento", detalhou Henry.

Depois de cometer o crime, segundo a polícia, o suspeito foi a uma loja comprar plásticos e uma mala, usados para ocultar o corpo, e voltado ao matagal, para transportar a vítima para outra área de mata, onde ela foi encontrada no início da semana.

"Ele diz que queria que o corpo fosse encontrado, porque depois de praticar o crime teria se arrependido. Isso aí a polícia não vai levar em consideração, mas, enfim, ele confessou com esses detalhes muito ricos. A polícia vai confrontar na investigação toda essa confissão com a prova técnica, mas a investigação está praticamente concluída", concluiu o delegado.

O suspeito foi preso pelos crimes anteriores na cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo. Ele aproveitava o benefício da saidinha, que ia dos dias 14 a 20, quando teve o encontro com Cíntia.

Ainda em entrevista à TV Diário, Henry confirmou que a polícia deve pedir a prisão preventiva do investigado para que ele não tenha mais o benefício. O rapaz foi identificado apenas como "Fabrício", sem ter o sobrenome divulgado.

Cotidiano