Topo

Conteúdo publicado há
10 meses

Homem é preso suspeito de gravar alunas em banheiro de faculdade em SP

Do UOL, em São Paulo

16/06/2023 07h18Atualizada em 16/06/2023 11h28

Um homem foi preso na noite de quinta-feira suspeito de gravar alunas no banheiro na Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo.

O que aconteceu:

A amiga de uma das vítimas, que a esperava dentro do banheiro de uso compartilhado, percebeu uma mão com um celular apontado para o box da jovem e confrontou o suspeito, segundo ocorrência registrada pela Polícia Civil;

O homem de 20 anos, identificado como Gabriel Valareto, negou que estivesse gravando a vítima, mas, após tomarem o celular da mão dele, as jovens perceberam que ele tinha diversos vídeos de partes íntimas de pelo menos 15 mulheres dentro dos boxes da instituição, segundo a TV Globo;

A segurança foi chamada, assim como a Polícia Militar, que chegou no local por volta das 16h50 e encaminhou o suspeito ao 8º DP;

O episódio foi registrado no campus da Mooca, na zona leste de São Paulo. Ao UOL, a universidade lamentou o episódio e não confirmou se o suspeito é aluno da instituição.

Alunos gravaram o momento em que o suspeito foi conduzido por um agente para fora das instalações da instituição de ensino em outro registro;

Minha amiga se deparou com o celular atrás do vaso, por baixo da outra cabine, me filmando por trás. Se eu estivesse sozinha, jamais teria visto a câmera. Ela perguntou para ele por que ele estava fazendo aquilo. Ele escondeu o celular no bolso, ela pediu que ele apagasse as fotos. Fiquei muito nervosa, não conseguia falar nada, só conseguia chorar.
Vítima, em entrevista à TV Globo

Em nota, a defesa do suspeito preso informou que só vai se pronunciar sobre o caso no decorrer do processo. Até o fim da manhã, Gabriel não tinha passado sobre audiência de custódia.

O celular do Gabriel encontra-se apreendido e passará por pericia, e somente após a conclusão do inquérito e perícia, que poderei informá-los quanto ao posicionamento da defesa.
Camila Casco, advogada de Gabriel, ao UOL

Universidade diz que repudia o caso

Em nota, a Universidade Anhembi Morumbi afirmou repudiar "toda e qualquer conduta contrária às normas legais e da própria Instituição".

A instituição informou estar adotando as providências cabíveis internamente e junto às autoridades competentes, além de se colocar à disposição para contribuir com a apuração dos fatos.

"A Instituição se solidariza com a vítima e informa que tem prestado toda a assistência necessária para que ela possa se restabelecer o mais rápido possível, retomando integralmente as atividades acadêmicas. Por fim, a Instituição reafirma seu comprometimento em acompanhar o caso e seus desdobramentos."