Conteúdo publicado há 2 meses

Análise: Grupo de 'caça' a ladrões no Rio reflete polarização política

A formação de um grupo de homens que saiu às ruas para espancar suspeitos de roubos no Rio de Janeiro tem a ver com a polarização política que o Brasil viveu nos últimos anos, afirmou o advogado Felippe Angeli, da plataforma Justa, ao UOL News da manhã desta terça-feira (6).

A gente chega nessa questão do justiçamento, que não é uma ideia estranha ao Brasil e não é uma ideia estranha ao Rio de Janeiro. As milícias, em seu surgimento, foram apoiadas por diversos setores sociais, políticos e imprensa como uma possível solução a essa desordem e criminalidade que assola camadas sociais. A barbárie vai prolongar essa crise em que a gente está totalmente afogado.

Não tem como não mencionar também todo um passivo racista derivado da escravidão que vivemos no nosso país, a ideia do açoite, do negro amarrado no poste e do justiçamento está presente nesse tipo de situação. É importante dizer que são coisas que vieram se aprofundando na polarização mais recente política dos últimos anos, todo esse debate sobre armas de fogo, cidadão de bem e a 'limpeza de Copacabana'.

Tem a ver, justamente, com a polarização política que a gente viveu.

O que aconteceu

Vídeos que mostram homens prometendo espancar suspeitos de crimes foram publicados nas redes sociais na noite de ontem.Em uma das imagens, é possível ver que os membros do grupo tentam esconder o rosto e gritam que "zona sul só tem playboy".

Em outro vídeo, um jovem negro aparece ensanguentado. Também é possível ver uma correria registrada entre os bairros de Botafogo e Laranjeiras, segundo publicações nas redes sociais.

Conversas em redes sociais também mostram pessoas prometendo levar paus e até mesmo um soco-inglês para espancar quem consideram infratores nas ruas. Ao UOL, a Polícia Civil afirmou que tomou conhecimento do ocorrido e disse que faz diligências para identificar os envolvidos e esclarecer os fatos. O UOL buscou a Polícia Militar para saber se alguma tentativa de linchamento foi registrada nos bairros onde a movimentação dos grupos foi gravada e aguarda retorno.

O UOL News vai ao ar de segunda a sexta-feira em duas edições: às 10h com apresentação de Fabíola Cidral e às 17h com Diego Sarza. O programa é sempre ao vivo.

Continua após a publicidade

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes