Conteúdo publicado há 1 mês

Dono de adega suspeito de envolvimento na morte de PM é preso

O dono de adega suspeito de envolvimento na morte de PM que estava de folga foi preso nesta segunda-feira (17) em São Paulo. Um irmão dele também foi detido, segundo o advogado de defesa informou ao UOL.

O que aconteceu

Anderson Silva do Nascimento, dono do estabelecimento, e Gabriel de Brito do Vale, irmão do empresário, são suspeitos de envolvimento na morte do policial Ricardo Silva Freitas, de 36 anos. Os dois foram presos e serão encaminhados para a 2ª DP (Delegacia de Polícia), de acordo com o advogado Washington Luiz de Moura.

Advogado fará pedido para revogação do pedido de prisão temporária. À reportagem, a SSP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) confirmou a prisão e diz que o caso é investigado pelo DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa). Imagens de câmeras de monitoramento foram coletadas e são analisadas.

Policial foi morto com a própria arma durante discussão em uma adega na madrugada de sábado (15), na Vila Jacuí, na zona leste de São Paulo. Freitas foi levado a hospital, mas morreu ao chegar ao local. Segundo a polícia, PMs foram acionados para atender a ocorrência. Ao chegarem ao endereço a vítima já estava baleada.

Investigação foi aberta para apurar o caso. Investigadores do DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa) fizeram diligências no local da ocorrência e pediram exames periciais ao Instituto de Criminalística e ao IML (Instituto Médico Legal).

Arma do PM não foi encontrada. O momento da briga foi gravado por câmeras de segurança e exibido pela TV Globo. Nas imagens, pelo menos quatro pessoas cercam o policial. Uma delas consegue pegar a arma do agente, que corre para se afastar do grupo, mas é atingido nas costas. A SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo) diz que ainda busca a arma do policial.

Deixe seu comentário

Só para assinantes