Conteúdo publicado há 1 mês

Engenheira que morreu baleada na Linha Amarela deixa filha de 7 meses

Uma das pessoas mortas durante tentativa de assalto na Linha Amarela, no Rio, na manhã desta terça-feira era uma jovem de 27 anos que tinha dado à luz há sete meses.

O que aconteceu

Deborah Vilas Boas estava em um ponto de ônibus por volta das 6h quando foi baleada. A Polícia Militar alega que os tiros foram disparados por suspeitos que tentavam roubar uma moto e foram interceptados por agentes do 22º BPM.

A mulher era engenheira de produção. Em 2022, ela comemorou a conclusão do curso pela Universidade Candido Mendes em publicação nas redes sociais.

Deborah também usava redes sociais para comemorar desenvolvimento da filha. A última postagem dela, feita na segunda-feira (7), mostra a menina comemorando sete meses. "Agora você bate palma, já fica em pé sozinha", afirma.

Marido de Deborah esteve no IML. Segundo imagens mostradas pela TV Globo, familiares da jovem foram até o local para reconhecer o corpo.

Outra vítima tinha 64 anos. O passageiro que estava dentro do ônibus da linha 315 quando foi baleado foi identificado como José Carlos da Silva Miranda.

Suspeito foi ferido. Duas pistolas foram apreendidas na ocorrência, segundo a Polícia Militar.

Deixe seu comentário

Só para assinantes