Professora é agredida e arrastada por carro após briga de trânsito no Rio

Uma professora foi agredida por um casal e arrastada pelo chão após uma briga de trânsito na Ilha do Governador, na zona norte do Rio de Janeiro. À TV Globo, Diana Campos Lopes disse estar "com muito medo" e exigiu justiça.

O que aconteceu

Vítima 'fechou' o casal quando tentava entrar em seu prédio. Imagens gravadas por uma câmera de segurança mostram o momento em que Diana — à esquerda — deu seta para sinalizar que entraria na sua garagem, à direita. A manobra acabou "fechando" um outro veículo, onde estava um casal, mas os dois carros não chegaram a bater. O caso aconteceu na última sexta-feira (5).

Casal parou o carro, desceu e começou a agredir a professora. Diana esperava o portão de seu prédio abrir quando foi abordada pelos suspeitos. Os dois arrancaram Diana de seu veículo e começaram a agredi-la. Um ciclista e dois outros carros passaram pela rua, mas ninguém parou para separar a briga.

Diana foi levada pelo braço e arrastada pelo carro dos agressores. Ao menos três outros carros que estavam próximos do local também não pararam para ajudar a vítima. Dentro do prédio da professora, duas mulheres aparecem gesticulando e logo correm para o portão.

'Foi uma violência, uma agressão por motivo fútil', disse a vítima. Em entrevista ao "Bom Dia Rio", da TV Globo, Diana disse que não conhecia o casal que a agrediu. "Estou muito indignada e quero justiça. Estou tomando remédio, não consigo dormir direito. As cenas vêm toda hora na minha cabeça. Uma revolta... E por quê? Não tinha acontecido nada antes, foi só porque eu passei na frente", contou.

Caso foi registrado na 37ª DP (Ilha do Governador). Em nota ao UOL, a Polícia Civil do Rio disse apenas que as investigações estão em andamento "para esclarecer os fatos". A reportagem não conseguiu contato com os suspeitos, cujos nomes não foram divulgados. O espaço segue aberto para manifestação.

Eu vinha dirigindo para minha casa e vi que ia passar pela minha garagem, então acelerei um pouquinho para entrar. Quando eu embiquei e abri o meu portão, vi que tinha alguém já me xingando. Saltaram do carro... Quando eu vejo, já estou sendo atacada, retirada do meu carro à base de socos. Um homem e uma mulher que não conheço. Foi uma violência, uma agressão por motivo fútil. Eu estou com medo.
Diana Campos Lopes, à TV Globo

Deixe seu comentário

Só para assinantes