PUBLICIDADE
Topo

Sou julgada mais pelo sobrenome que pelo trabalho, diz Clarissa Garotinho

Clarissa Garotinho (Pros) é candidata à Prefeitura do Rio de Janeiro - Diego Bresani/UOL
Clarissa Garotinho (Pros) é candidata à Prefeitura do Rio de Janeiro Imagem: Diego Bresani/UOL

Do UOL, em São Paulo

22/10/2020 09h22Atualizada em 22/10/2020 11h04

Filha dos ex-governadores do Rio de Janeiro Anthony e Rosinha Garotinho, a candidata à Prefeitura da capital fluminense Clarissa Garotinho (Pros) disse que é muito mais julgada pelo seu sobrenome do que pelo seu trabalho.

Em entrevista ao jornal "O Globo", a candidata, que é deputada federal, afirmou que essa eleição traz uma oportunidade para que ela possa apresentar suas ideias e sair da sombra dos pais.

"Eu acabo sendo julgada muito mais pelo meu sobrenome do que pelo meu trabalho. A eleição é a oportunidade de a gente se apresentar, de corrigir fatos históricos e das pessoas me conhecerem", declarou.

Ao ser questionada sobre a prisão de seus pais por suspeita de irregularidades na Prefeitura de Campos dos Goytacazes, a candidata afirmou que eles foram "injustiçados e humilhados" por terem denunciado as irregularidades na gestão do ex-governador Sérgio Cabral, preso desde 2016.

"Por isso, acabaram sendo perseguidos, injustiçados e humilhados. Essa história ficou mal compreendida pela população, mas espero que um dia a gente tenha a possibilidade de colocar os pingos nos is e que a população reconheça quem de fato fez por esse estado", afirmou.

Clarissa disse ainda que há "preconceito e desconhecimento" por parte dos eleitores em relação à sua campanha, o que explicaria o alto índice de rejeição ao seu nome apontado nas pesquisas de intenção de voto (40%).

Apesar disso, ela afirmou que não faria diferença tirar o sobrenome em sua campanha.

"Não faz diferença. Todo mundo sabe que a Clarissa é filha do Garotinho. Família, para mim, é algo sagrado", declarou.