PUBLICIDADE
Topo

Após liminar, Crivella consegue obter registro de candidatura no Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos-RJ), concorre à reeleição - André Melo Andrade/Myphoto Press/Estadão Conteúdo
O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos-RJ), concorre à reeleição Imagem: André Melo Andrade/Myphoto Press/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

26/10/2020 20h32

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), teve o registro de candidatura à reeleição deferido pelo TRE-RJ (Tribunal Regional Eleitoral) na tarde de ontem. A decisão, divulgada hoje, observa que a candidatura foi autorizada "sob condição" graças a uma liminar obtida por ele no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), suspendendo a condenação que o tornava inelegível por oito anos.

Crivella foi condenado em setembro pelo TRE-RJ por abuso de poder político e conduta vedada, tornando-se inelegível até 2026. A juíza Regina Lúcia Chuquer, da 23ª Zona Eleitoral do Rio, autorizou a candidatura do prefeito até a manutenção da decisão do TRE ou caso a determinação do TSE seja derrubada.

Na condenação de Crivella, o TRE entendeu que o prefeito usou funcionários e veículos da Comlurb, companhia de limpeza urbana da cidade, para promover um evento de campanha de seu filho Marcelo Hodge Crivella, que tentou se eleger deputado federal em 2018. Alessandro Duarte, candidato a deputado estadual naquela ocasião, também teria sido beneficiado pelo prefeito.

No entanto, após o TSE suspender a inelegibilidade, Crivella manteve provisoriamente seus direitos políticos e pôde concorrer normalmente à reeleição. O mérito do recurso ainda será julgado pelo Tribunal.

Caso o TSE entenda que a condenação do prefeito foi injusta, pode revertê-la e inocentá-lo das acusações. Na hipótese de a condenação do TRE-RJ ser mantida, Crivella voltará a ser considerado inelegível.