Obama declara apoio formal a Hillary como sua sucessora na Casa Branca

Do UOL, em São Paulo

  • Lucas Jackson/Reuters

    Hillary Clinton, pré-candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos

    Hillary Clinton, pré-candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, formalizou seu apoio a ex-secretária de Estado Hillary Clinton como sua sucessora na Casa Branca, pelo Partido Democrata, nesta quinta-feira (9).

Obama se disse ansioso para sair em campanha por ela, alguns dias após Clinton alcançar o número suficiente de delegados para receber a indicação democrata.

"Não acho que já houve alguém tão qualificado para assumir este posto", disse Obama em uma mensagem de vídeo divulgada hoje pela Casa Branca.

"Estou com ela, estou animado e não posso esperar para sair em campanha com Hillary", disse Obama.

Em sua conta no Twitter, Clinton divulgou o vídeo e a mensagem de que sente-se "honrada e pronta".

"Ela tem a coragem, a compaixão e o coração para fazer o trabalho", citando a mensagem do presidente.

Na próxima semana, Obama fará campanha ao lado de Clinton em Wisconsin.

Os dois democratas foram rivais durante as primárias de 2008, vencida por Obama. Clinton passou a ser, então, secretária de Estado no primeiro mandato de Obama como presidente dos EUA.

Apoio confirmado após reunião com Sanders

O apoio do presidente a Clinton foi oficializado logo após uma reunião dele com o outro pré-candidato democrata na disputa, o senador Bernie Sanders. 

Em pronunciamento após o encontro, Sanders disse que vai disputar a última primária democrata, em Washington D.C., e que pretende se encontrar em breve com Clinton para discutir de que forma ambos podem se unir contra o pré-candidato republicano à presidência, Donald Trump. 

"Estou ansioso para encontrar-me com ela em um futuro próximo e ver como podemos trabalhar juntos para derrotar Donald Trump", afirmou o senador de Vermont.

Em críticas ao oponente republicano, o senador disse que "não entende" como o Partido Republicano pode indicar alguém como o empresário para concorrer ao cargo máximo do país, e afirmou que vai fazer "tudo que estiver em meu alcance, e eu vou trabalhar o mais duro que eu puder, para ter a certeza de que Donald Trump não se torne presidente".  

"É inacreditável para mim, e eu falo isso com toda a sinceridade, que eles [republicanos] tenham um candidato a presidente que em pleno ano de 2016 prega intolerância e discriminação, as pedras angulares de sua campanha. Um candidato que insulta mexicanos e latinos, mulheres, muçulmanos", criticou Sanders.  

A imprensa norte-americana especulava que, nesse encontro com Obama, o presidente iria pressionar o senador para que desistisse da disputa pré-eleitoral, assim conseguindo unir os democratas em torno de Hillary.

Por enquanto, Sanders não desistiu. 

(com informações das agências de notícias)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos