França sofre com sucessivos ataques desde a chacina do Charlie Hebdo; relembre

Do UOL, em São Paulo

  • Jean-Paul Pelissier/Reuters

    Desde janeiro de 2015, a França tem sido alvo recorrente de atentados

    Desde janeiro de 2015, a França tem sido alvo recorrente de atentados

O ataque que deixou ao menos 80 mortos em Nice, em pleno feriado nacional de 14 de julho, é mais um marco da série de atentados cometidos na França, desde janeiro de 2015.

A linha de acontecimentos trágicos tem início com a chacina realizada na redação da revista satírica "Charlie Hebdo" e atinge seu ponto culminante com os ataques simultâneos em diversos locais de Paris, em 13 de novembro de 2015, quando morreram 130 pessoas.

Acompanhe abaixo a sequência de fatos:

Janeiro de 2015 - Três dias de terror

Entre 7 e 9 janeiro de 2015 foram mortas 17 pessoas em atentados realizados por radicais islâmicos na França: 12 no atentado à revista "Charlie Hebdo" incluindo o diretor do veículo e quatro chargistas, quando dois irmãos franceses de origem argelina invadiram a redação. Outros dois ataques foram registrados: uma policial foi executada em Montrouge e quatro pessoas foram mortas no sequestro a uma loja judaica

Fevereiro de 2015 - Guardas são atacados

Em Nice, três soldados que faziam guarda do lado de fora de um centro da comunidade judaica são atacados com facas. O agressor, Moussa Coulibaly, 30, residente do grande subúrbio de Paris, é detido. Durante sua detenção, ele manifesta seu ódio contra a França, a polícia, os militares e os judeus.

Abril de 2015 - Estudante é preso

Sid Ahmed Ghlam, estudante argelino de informática, é detido em Paris, suspeito de ter matado uma mulher e preparado um atentado iminente contra uma igreja de Villejuif, nos arredores de Paris. Posteriormente, ele confessa ter planejado outras ações, especialmente contra um trem, com o objetivo de "matar 150 infiéis", ou contra a basílica do Sacré-Coeur, em Paris.

Junho de 2015 - Homem decapita patrão

Philippe Desmazes/AFP
Bandeira da França e flores são colocadas em grade de fábrica de gás onde foi morto o francês Hervé Cornara

Um homem chamado Yassin Salhi, 35, mata e decapita o patrão, Hervé Cornara, perto de Lyon e depois, erguendo bandeiras islamitas, tenta explodir a fábrica Air Products de Saint-Quentin-Fallavier (centro-leste), jogando seu furgão contra garrafas de gás antes de ser detido.

Jerome Delay/AP
Ataque à casa de shows Bataclan aconteceu simultâneamente a tiroteios em ruas da cidade

Novembro de 2015 - Ataques em Paris matam 130 pessoas

Uma série de ataques coordenados atingiram Paris na noite de 13 de novembro de 2015 e resultaram na morte de 130 pessoas, e deixaram outras 350 feridas. Todos os ataques foram em locais de grande concentração de pessoas: bares, restaurantes, a casa de shows Bataclan, e o estádio nacional Stade de France. 

Vídeo mostra fuga dramática do Bataclan no momento de ataque

  •  

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos