Três policiais e um suspeito são mortos em tiroteio nos Estados Unidos

Do UOL, em São Paulo

Ao menos três policiais e um suspeito foram mortos em um tiroteio, na manhã deste domingo (17), em Baton Rouge, capital da Louisiana (EUA), cidade onde um negro foi assassinado por um agente branco no início do mês. Pelo menos outros três policiais ficaram feridos, um deles em estado grave. Eles foram levados a um hospital.

Os policiais chegaram ao local após terem respondido a uma chamada sobre um homem que caminhava com um rifle pela rua. Segundo a imprensa americana, o atirador foi identificado como Gavin Long, um um ex-fuzileiro naval de 29 anos. Ele teria atirado contra os policiais no dia do seu aniversário.

Já a emissora "CBS" afirmou que Long é negro, o que reforçaria a hipótese de uma retaliação devido aos recentes casos de violência policial contra afro-americanos no país, um deles registrado exatamente em Baton Rouge. No entanto, a informação ainda não foi confirmada pelas autoridades.

A polícia de Baton Rouge também prendeu outras duas pessoas suspeitas de envolvimento no ataque, mas considera que Long foi o único responsável pela morte dos policiais.

Uma testemunha relatou à televisão local WBRZ que um homem, vestido de preto e com o rosto coberto, disparou indiscriminadamente enquanto se deslocava de uma loja de conveniência para um posto de lavagem de carros. A polícia chegou a considerar a existência de outro atirador, vestido da mesma forma, mas afirmou posteriormente em entrevista coletiva acreditar que o atirador tenha promovido o ataque sozinho e pediu que a população entre em contato com o FBI se notar atitudes suspeitas.

"Este é um ataque inexplicável e injustificado a todos nós em um momento em que precisamos de unidade e cura", disse o governador de Louisiana, John Bel Edwards, em pronunciamento.

Imagens de televisão mostram a polícia isolando a zona e várias unidades de forças especiais da SWAT se dirigindo ao local do ataque. "A cena, nós avaliamos agora, está controlada", disse o porta-voz da polícia. 

Tensão

Na última sexta-feira, Baton Rouge foi palco do enterro de Alton Sterling, um afro-americano, de 37 anos, que foi morto por dois agentes brancos com tiros à queima-roupa quando já estava imobilizado no chão.

Sua morte e a de Philando Castile, um negro de Minnesota, dois dias depois, também por policiais, após ter sido detido por uma infração de trânsito, reacenderam as tensões raciais no país e provocou uma onda de protestos liderados pelo movimento "Black Lives Matter" (Vidas de negros importam).

Ambos os incidentes, que representam uma onda de violência policial contra os afro-americanos, segundo os ativistas, foram registrados em vídeo e posteriormente divulgados pelas redes sociais e pela imprensa, o que gerou indignação em todo o país.

Os EUA viveram repetidos episódios de tensão racional recentemente, especialmente após a morte de Michael Brown em Ferguson, no Missouri, em agosto de 2014, também vítima de um policial branco, que acabou inocentado de todas as acusações posteriormente. (Com agências internacionais)

Atirador de Dallas diz que queria 'matar gente branca'

  •  

 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos