Conteúdo publicado há 1 mês
Kennedy Alencar

Kennedy Alencar

Siga nas redes
Só para assinantesAssine UOL
Opinião

Congresso faz 'parlamentarismo de achaque'

O colunista do UOL Kennedy Alencar afirmou durante o programa Análise da Notícia que Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e Arthur Lira (PP-AL), presidentes do Senado e da Câmara respectivamente, querem inventar um novo sistema de governo no Brasil e passarem por cima do presidencialismo.

É um parlamentarismo de achaque que molesta muito e estressa o Executivo. O Congresso quer todos os bônus e nenhum ônus. Kennedy Alencar

Kennedy afirmou que o Congresso cobra responsabilidade fiscal do governo, mas se nega a ter o mesmo tipo de responsabilidade. Ele ainda destacou que o Congresso brasileiro ganhou poder para governar junto com o Executivo nos últimos anos, e usou as constantes ameaças de Arthur Lira como exemplo.

Na semana passada, o Lira deu uma pancada no Alexandre Padilha e ameaçou colocar uma pauta-bomba em votação no Congresso. Lula teve que entrar em cena e fazer um carinho no Lira. Eles negociaram a questão do veto das emendas parlamentares e Lula admitiu pagar uma parte dos R$ 5,6 bilhões. Ou seja, sempre há um presidente com poder, seja na Câmara ou no Senado, com uma faca no pescoço do presidente da República. Kennedy Alencar

Além das constantes ameaças de Lira, Rodrigo Pacheco deu sinais de sua sede pelo parlamentarismo nesta semana. No domingo (28), Fernando Haddad deu uma entrevista para Mônica Bergamo e afirmou que o Congresso também precisa ter responsabilidade fiscal, mas o presidente do Senado não gostou da reflexão de Haddad.

O Pacheco quer votar um quinquênio para magistratura e outras carreiras do chamado alto funcionalismo. Ele quer dar um aumento premiado a cada cinco anos e isso pode gerar um impacto de R$ 40 bilhões por ano. Rodrigo Pacheco ficou chateado com a declaração do Haddad e disse que não vai se reunir com líderes do governo e poder votar o quinquênio. Ele está pedindo a renegociação das dívidas de Minas Gerais e quer o apoio do governo para ser candidato ao governo de Minas. Ou seja, ele quer passar a responsabilidade da dívida para o governo federal e todos os cidadãos. Ele pede responsabilidade fiscal do governo, mas quer só o bônus, não quer o ônus. Aí é fácil brincar de semi-parlamentarismo porque quem tem que responder é Lula e Haddad. Kennedy Alencar

O colunista do UOL afirmou que nenhum tipo de articulação política consegue contornar os comportamentos de Pacheco e Lira, e ainda destacou que é preciso fazer alguma alteração no regimentos dos presidentes do Congresso.

No Brasil, vemos que se a meta fiscal não for cumprida o presidente pode cair. Já inventaram a pedalada da Dilma e derrubaram uma presidente. Existe uma legislação a qual o Executivo tem que obedecer, mas e o Congresso? Ele não precisa se submeter a Legislação que ele criou? (...) Lira e Pacheco são presidentes de poder e é preciso mexer no poder e no regimento dos presidentes da Câmara e do Senado porque eles têm um poder imperial. Eles concentram o poder de decidir o que vai entrar em votação e decidem se colocam uma pauta-bomba para deixar o governo em escanteio ou se aprovam um outro projeto. Kennedy Alencar

***

Continua após a publicidade

O Análise da Notícia vai ao ar às terças e quartas, às 13h e às 14h30.

Onde assistir: Ao vivo na home UOL, UOL no YouTube e Facebook do UOL.

Veja abaixo o programa na íntegra:

Opinião

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.

Deixe seu comentário

Só para assinantes