Miss Finlândia é 12ª mulher a acusar Trump de assédio

Em Helsinki

  • Reprodução/Twitter

    A Miss Finlândia (segunda à esquerda), Ninni Laaksonen, ao lado de Donald Trump, em foto do evento Miss Universo

    A Miss Finlândia (segunda à esquerda), Ninni Laaksonen, ao lado de Donald Trump, em foto do evento Miss Universo

A Miss Finlândia Ninni Laaksonen acusou o candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, de abuso sexual em 2006, quando ela representava o país no concurso Miss Universo. É a 12ª mulher a acusar o magnata de assédio.

Laaksonen disse ao jornal "Ilta-Sanomat" que o candidato a agarrou "por trás" antes dela aparecer ao vivo no evento em Nova York, ao lado de outras participantes.

"Ele realmente agarrou minha bunda. Não acho que ninguém viu, mas eu realmente parei e pensei: 'O que está acontecendo?'", disse ela, segundo o jornal.

A acusação ocorre após uma série de alegações de condutas inapropriadas de Trump com outras mulheres nos Estados Unidos, o que coloca pressão em sua campanha, à medida que a eleição de 8 de novembro de aproxima. Trump nega as acusações.

Laaksonen afirmou que haviam lhe dito, em outros eventos naquele ano, que Trump a achava atraente porque ela era parecida com sua mulher, Melania, com quem ele havia se casado no ano anterior. 

"Alguém me disse que Trump gostava de mim porque eu parecia a Melania quando jovem", disse Laaksonen, segundo o jornal britânico "The Guardian". "Isso me deixou enojada."

A Miss não pôde ser contatada para comentários nesta sexta-feira. Trump não comentou a nova acusação. (Com agências internacionais)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos