"Demitido? Estão brincando", ironiza chanceler russo sobre diretor do FBI

Do UOL, em São Paulo

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, ironizou a demissão do diretor do FBI, James Comey, durante encontro com o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, nesta quarta-feira (10).

"(Comey) foi demitido? Estão brincando, estão brincando!", disse Lavrov ao ser perguntado a respeito pelos jornalistas enquanto posava para as câmeras com Tillerson.

Comey estava à frente da agência encarregada da investigação sobre os laços da campanha do então candidato Donald Trump com a Rússia nas eleições presidenciais de 2016.

Os encontros com Tillerson e Donald Trump que Lavrov em Washington acontecem um dia depois que o presidente dos EUA anunciou a demissão do agora ex-diretor do FBI, a polícia federal investigativa dos Estados Unidos, James Comey, que liderava uma investigação sobre os possíveis vínculos entre a campanha eleitoral do magnata e o governo russo.

Após o encontro com Tillerson e Trump, Lavrov voltou a negar que a Rússia tenha interferido na eleição americana. "Essas coisas falsas criam um barulho nas relações entre Rússia e Estados Unidos. É anormal, e é uma coisa ruim. Os americanos escutam que tem alguém comandando sua política. Isso não deveria nem ter sido dito. Isso prejudica o sistema político americano", disse. "Não há evidência nenhuma. Pedimos que venha um indício para que a gente possa rebater, mas não há. Isso não é sério", completou.

Também hoje, Trump afirmou que demitiu Comey "porque ele não estava fazendo um bom trabalho".

Na quarta, o governo havia justificado a decisão dizendo que houve uma recomendação para a substituição do diretor partiu do Departamento de Justiça, que estava investigando Comey pelas declarações públicas feitas poucos dias antes da eleição sobre suspeitas contra Hillary Clinton.

Dez dias antes da eleição, o diretor anunciou que o FBI estava investigando mais e-mails como parte de um inquérito -- que havia sido encerrado anteriormente-- sobre o uso de um provedor privado por Hillary Clinton. A agência voltou atrás dois dias antes da eleição e disse que decidiu não processar a candidata. Porém, as declarações de Comey já haviam provocado um grande escândalo. Na época, os democratas acusaram o diretor do FBI pela derrota nas urnas.

Diretores do FBI são nomeados para um mandato de dez anos. Comey, de 56 anos, assumiu a agência em 2013.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos