PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Coreia do Norte diz que teste com míssil de alta precisão foi bem-sucedido

KCNA via KSN/STR/AFP
Imagem: KCNA via KSN/STR/AFP

Do UOL, em São Paulo

29/05/2017 20h05Atualizada em 29/05/2017 21h15

A Coreia do Norte confirmou nesta segunda-feira (29) ter realizado com sucesso o teste de um míssil balístico com um sistema de controle de precisão desenvolvido recentemente. A informação é da agência oficial KCNA.

Segundo a nota, o míssil teria capacidade para um ataque preciso. "O teste teve como objetivo veridicar os índices tecnológicos de um novo tipo de foguete balístico de precisão guiada capaz de realizar um ataque de "ultraprecisão contra nossos inimigos", diz a nota. O míssil teria caído no Mar do Japão e atingido "corretamente o alvo com um desvio de sete metros".

Segundo a Coreia do Sul, o míssil balístico seria do tipo Scud e voou por cerca de 450 quilômetros. A Coreia do Norte tem um grande estoque de mísseis de curto alcançado, desenvolvidos originalmente pela União Soviética.

O lançamento desta segunda-feira ocorreu após dois testes bem-sucedidos --segundo Pyongyang-- de mísseis de médio e longo alcance em duas semanas. A Coreia do Norte tem realizado estes testes em um ritmo sem precedentes em um esforço para desenvolver um míssil balístico intercontinental capaz de atingir os Estados Unidos. Esse foi o terceiro lançamento de um míssil balístico pelo Norte desde a posse do novo presidente da Coreia do Sul, o liberal Moon Jae-in took, em 10 de maio, que assumiu com a promessa de retomar os diálogos com o recluso vizinho do Norte.

"Todas as vezes que notícias de nossa valiosa vitória foram transmitidas recentemente, os ianques ficam muito preocupados sobre isto e os gângsteres do Exército marionete da Coreia do Sul ficam mais e mais desanimados", disse Kim segundo a KCNA. Ele expressou a convicção de que isto irá significar um grande salto adiante neste espírito de mandar um "pacote de presente' maior aos ianques" em retaliação pela provocação militar norte-americana, relatou a KCNA. (Com agências internacionais)

 

Internacional