Mulher é acusada de usar classificado para atrair alguém para matar ex-marido

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Danielle Dana Layman

    Danielle Dana Layman

Uma mulher nos EUA é acusada de tentar contratar alguém em um site de anúncios gratuitos para viajar até Israel e matar o ex-marido dela usando veneno.

Danielle Dana Layman, 37 anos, foi indiciada no sábado (1º) por usar uma "instalação de comércio interestadual para contratar um matador de aluguel". Os promotores disseram em um comunicado divulgado na segunda-feira (3) que Layman publicou classificados com um título singelo "10 dias de excursão no exterior para amadores, pagamento competitivo".

O anúncio dizia: "Para produção no exterior, procurando por um talento, 30-45 anos. Não precisa ser um ator profissional. Requisito: criativo, extrovertido, amigável, personalidade positiva, ousado e valente (algumas ações podem ser arriscadas apesar delas serem completamente seguras)". O anúncio ainda acrescentava que experiência em interpretação, shows de mágica e negócios de cassinos seriam requisitos considerados preferidos por ela.

Ela prometia um bom pagamento, que incluiria cerca de US$ 4.000 (cerca de R$ 13 mil) em dinheiro e mais US$ 1.000 (cerca de R$ 3,3 mil) em despesas.

Uma pessoa que respondeu ao anúncio entrou em contato com o FBI após um encontro com Layman em um café em maio. Segundo seu depoimento, Layman usou uma apresentação de PowerPoint chamado "Operação Inseticida".

Os detalhes dessa operação pediam que a pessoa viajasse para Israel, contratasse o ex-marido de Layman como taxista a cada manhã e oferecesse a ele café que estaria envenenado com ricina, um veneno encontrado na mamona. Quando purificada, mesmo em pequenas quantidades, a ricina pode matar e não há informações da existência de um antídoto.

A ricina também é conhecida por aparecer no seriado "Breaking Bad". O protagonista Walt White (Bryan Cranston)  já havia usado o veneno em duas ocasiões para tentar matar inimigos.

Segundo um relatório, as instruções escritas da operação diziam para "repetir cada manhã e monitorar a saúde do motorista". Também pedia para relatar se ele começasse a apresentar sinais de doença ou se ele vomitasse. Se ele caísse, a pessoa deveria levá-lo até onde o contratado estaria hospedado. Quando a vítima tivesse sido hospitalizada ou eliminada, o contratado deveria se mudar para um hotel diferente até a hora de embarcar para o voo de volta.

Segundo a imprensa israelense, Layman estava em uma batalha jurídica com seu ex-marido. A mulher, que seria israelense, se mudou para os EUA em 2007. Layman se casou com seu segundo marido em 2010. Em 2014, enquanto Layman visitava Israel com sua filha de 13 anos, seu ex-marido entrou na Justiça em busca de seus direitos de visitar a filha. A corte determinou que a filha não poderia deixar Israel, no entanto, a mãe conseguiu fazer com que ela embarcasse em um voo para os EUA.

Layman foi presa depois que o FBI fez buscas em sua casa em Ponca City, cerca de 145 km ao norte de Oklahoma. Agentes do FBI encontraram mamonas na casa de Layman e também instruções de como fazer ricina.

Layman permanecerá presa até sua audiência, em 11 de julho. Seus advogados não comentaram sobre o caso até a manhã desta terça-feira (4).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos