PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Autor de ataques com bombas no Texas morreu após explosão em carro, diz polícia

Eric Gay/AP
Imagem: Eric Gay/AP

Do UOL, em São Paulo

21/03/2018 07h57

Um suspeito procurado por ataques com pacotes-bomba em Austin, Texas, morreu na madrugada de quarta-feira ao explodir o veículo em que estava no momento em que as autoridades se preparavam para detê-lo, informou a polícia.

"O suspeito morreu", disse o chefe de polícia de Austin, Brian Manley. O homem morto era branco e tinha 24 anos. Manley afirmou acreditar que esta pessoa é responsável pelas cinco explosões que deixaram dois mortos e vários feridos no Texas desde 2 de março, provocando grande inquietação entre os moradores do estado do sul dos Estados Unidos.

A polícia rastreou o carro do suspeito até um hotel nas proximidades de Austin. Enquanto os agentes esperavam a chegada de equipes táticas, o suspeito começou a afastar-se do veículo. Quando os policiais pretendiam impedir seu avanço e prendê-lo, o homem detonou uma bomba dentro do carro e morreu, explicou Manley.

A polícia ainda não sabe se o suspeito agia sozinho.

Histórico de explosões

A primeira bomba explodiu em uma sexta-feira, 2 de março, e as outras duas, na última segunda, dia 12. Depois disso, uma nova bomba explodiu no domingo (19). E outras duas bombas foram encontradas na FedEx, uma que explodiu e outra desarmada antes. 

Os artefatos explosivos foram fabricados com componentes disponíveis em lojas de ferragens.

Houve ainda uma sexta explosão na terça (20), cuja relação com os outros ataques foi descartada pela polícia.

Dois homens negros de 39 e 17 anos morreram na explosão de pacotes-bomba que foram deixados na porta de suas casas. Uma senhora de 75 anos, de origem hispânica, ficou ferida na terceira deflagração. Daí levantou-se a hipótese de que os crimes tivessem motivação racial.

Já o ataque de domingo feriu dois homens brancos de 22 e 23 anos, enquanto caminhavam em um tranquilo bairro residencial do sudoeste de Austin.

(Com informações da AFP e EFE)

Internacional