PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Duas pessoas são presas por morte de idosa judia em Paris e acusadas de antissemitismo

Clotaire Achi/Reuters
Imagem: Clotaire Achi/Reuters

Do UOL, em São Paulo

27/03/2018 07h39

Duas pessoas foram presas e acusadas de homicídio doloso com caráter antissemita após o assassinato de uma judia de 85 anos em Paris, anunciaram fontes judiciais nesta terça-feira (27). 

As duas pessoas foram indiciadas por "assassinato relacionado com a religião da vítima, real ou imaginada". Os dois homens também enfrentam acusações de roubo com agravante e destruição de propriedade.

O presidente francês, Emmanuel Macron, condenou o crime em uma mensagem no Twitter. "Expresso minha emoção ante o horrível crime contra Knoll. Reafirmo minha determinação absoluta a lutar contra o antissemitismo", escreveu Macron.

Mireille Knoll, que conseguiu escapar da perseguição aos judeus em Paris durante a Segunda Guerra Mundial, foi encontrada morta na sexta-feira em seu apartamento na zona leste da capital francesa. De acordo com a autópsia, a idosa foi esfaqueada diversas vezes. O apartamento foi incendiado.

Knoll escapou da operação de 1942 em Paris contra mais de 13.000 judeus e fugiu com a mãe para Portugal.

Menos de 100 dos detidos na chamada operação do Velódromo de Inverno, que foram enviados a campos de extermínio nazistas, conseguiram sobreviver. (Com AFP)

Internacional