Mísseis perto de Damasco matam 9 iranianos; Síria acusa Israel

Do UOL, Em São Paulo*

  • Sana / AP

Horas após o anúncio da saída dos Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã, nesta terça-feira (8), o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (ODSH) reportou a morte de nove combatentes iranianos perto de Damasco, capital da Síria. Apoiadores do regime do regime de Bashar al-Asad, os soldados do Irã teriam sido alvo de mísseis israelenses.

"Nove combatentes dos Guardiães da Revolução iranianos ou das milícias xiitas pró-iranianas morreram" indicou à agência de notícias AFP o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.  No Twitter, usuários também postaram vídeo do ataque supostamente israelense.

Mais cedo, as Forças Armadas haviam anunciado sírias interceptação de dois mísseis israelenses, disparados contra um bairro de Damasco, noticiou a agência oficial síria Sana.

"A defesa antiaérea interceptou dois mísseis israelenses (...) e os destruíram", segundo a agência. O OSDH havia informado à AFP que os mísseis visavam "um depósito de armas das milícias iranianas ou do Hezbollah libanês".

Por meio de um comunicado, o Exército de Israel pediu que as autoridades locais das Colinas do Golã abrissem e preparassem abrigos antimísseis "devido a atividades incomuns das forças iranianas na Síria".

Este anúncio foi feito enquanto em Washington o presidente americano, Donald Trump, anunciava sua decisão de retirar os Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã. Israel, por meio do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu, foi um dos poucos líderes mundiais a apoiar a movimentação dos Estados Unidos.

Trump confirma saída do acordo nuclear com Irã

*Com AFP

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos