PUBLICIDADE
Topo

Lançado, desaparecido e achado em novembro: as coincidências do submarino argentino

Foto do submarino argentino ARA San Juan em 2014, antes do desaparecimento - Xinhua News Agency
Foto do submarino argentino ARA San Juan em 2014, antes do desaparecimento Imagem: Xinhua News Agency

Bruno Aragaki

Do UOL, em São Paulo

17/11/2018 10h38

Ainda não se sabe o que aconteceu com o submarino da “Armada da República Argentina” (ARA) San Juan, localizado neste sábado (17) a 800 metros de profundidade.

Mas chama a atenção uma série de casualidades envolvendo o mês de novembro e a história da embarcação.

Veja também:

O submarino foi encontrado dois dias depois de os familiares terem relembrado um ano do naufrágio da embarcação: o S-42, código do equipamento na marinha argentina, perdeu contato com a base em 15 de novembro de 2017 e foi localizado em 17 de novembro de 2018.

Parentes de integrantes da tripulação do submarino ARA San Juan se reúnem em frente à base naval em Mar del Plata, na Argentina, após o anúncio de que o submarino foi localizado  - Alfonsina Tain/AFP
Parentes de integrantes da tripulação do submarino ARA San Juan se reúnem em frente à base naval em Mar del Plata, na Argentina, após o anúncio de que o submarino foi localizado
Imagem: Alfonsina Tain/AFP

Um dos itens mais modernos da frota argentina, o S-42, código do equipamento, foi construído em 1983 na Alemanha. E foi utilizado pela primeira também em um dia de novembro: em 18 de novembro de 1985 – data em que recebeu a bandeira argentina e em que se comemora o aniversário da embarcação.

O submarino foi utilizado em operações distantes na década de 1990, tendo sido enviado a Porto Rico, à costa atlântica dos EUA e à Venezuela.

Depois de anos de uso, em 2007, o navio foi enviado para reforma: os trabalhos de reparo começaram em um 9 de novembro de 2007.

ARA San Juan – trajetória

Alfonsina Tain/AFP
Imagem: Alfonsina Tain/AFP

  • 18 de novembro de 1985: ‘batismo’, recebe a bandeira argentina e o nome “San Juan”
  • 9 de novembro de 2007: reforma da embarcação
  • 13 de novembro de 2017: parte da base de Ushuaia, no sul da Argentina, para um exercício de rotina, com destino a Mar del Plata – a cerca de 200 km ao leste de Buenos Aires
  • 15 de novembro de 2017: perde contato com as bases em terra
  • 15 de novembro de 2018: no aniversário do desaparecimento, empresa dos EUA contratada informa que suspenderá buscas até fevereiro para realizar manutenção de equipamentos
  • 16 de novembro: objeto detectado no fundo do oceano; parentes pressionam para que busca siga
  • 17 de novembro de 2018: marinha confirma que objeto a 800 metros de profundidade é o submarino

Encontrado próximo a local onde explosão foi detectada

Uma comissão formada pelo Ministério da Defesa argentino analisou registros de detectores sísmicos captados na região de onde o submarino enviou os últimos sinais e detectou uma “anomalia hidroacústica” no mar em 15 de novembro de 2017.

O submarino foi localizado, hoje, a 40 quilômetros do ponto onde o ruído foi detectado. Para os técnicos argentinos, é um indício de que o submarino pode ter sofrido uma explosão ou uma implosão.

O ARA San Juan foi localizado a leste da Península Valdés, na Patagônia argentina, a 600 km da cidade de Comodoro Rivadavia, onde havia sido montado o centro de operações durante a busca.

Marina Devo/Reuters
Imagem: Marina Devo/Reuters

Notícias