Topo

Milionário americano paga R$ 410 mil para matar cabra rara e gera revolta

Bryan Kinsel Harlan
Bryan Kinsel Harlan mostra markhor que ele caçou no interior do Paquistão Imagem: Bryan Kinsel Harlan

Do UOL, em São Paulo

2019-02-16T04:01:00

16/02/2019 04h01

Um milionário norte-americano pagou US$ 110 mil (cerca de R$ 413 mil) para caçar uma espécie de cabra rara, natural das montanhas do Paquistão. Apesar de se tratar de um animal que corre risco de extinção, as autoridades afirmam que a taxa cobrada financia atividades que ajudam a preservação. 

A fotografia de Bryan Kinsel Harlan ajoelhado atrás da cabra, conhecida como markhor ou cabra falconeri, foi publicada na semana passada por jornais paquistaneses e causou revolta. 

A legenda da foto descreveu Harlan como um americano que pagou altos valores por uma expedição turística de caça na região de Gilgit-Baltistan, no norte do Himalaia, no Paquistão.

"Foi um tiro fácil e próximo. Tenho o prazer de levar este troféu", afirmou o caçador, segundo a imprensa local. Segundo os guias, ele é natural do Texas. 

A história foi parar nas redes sociais e causaram tristeza e indignação, já que o markhor é considerado o animal nacional do Paquistão. No entanto, além de não haver nenhuma lei específica que proíba a caça desse tipo de cabra, muitos especialistas dizem que, se não fossem as altas taxas cobradas pela caça, a espécie já teria desaparecido. 

Por causa da caça ilegal pela carne, do desmatamento, além de outros motivos, a população de markhors diminuiu significativamente no Paquistão. Em 2011, havia apenas cerca de 2.500 exemplares da espécie.

As autoridades, então, começaram a tomar medidas para salvar esses animais. O Paquistão proibiu toda a caça local, mas passou a permitir que um pequeno número de caçadores estrangeiros atirasse em 12 cabras por temporada em "áreas de conservação" como Gilgit, por uma alta quantia em dinheiro.

Esse fundo é destinado a moradores locais que trabalham como guia e tomam conta dos animais. Eles se certificam que não haja caça ilegal de markhors. Segundo o site conservacionista Green Global Travel, o retorno do markhor é "uma das grandes histórias de sucesso de conservação do mundo, mas ainda pouco conhecida."

O dinheiro da caça no Paquistão é fundamental para a população carente e chega a financiar saúde e educação para elas. 

No caso de Harlan, o americano diz ter sido recebido "de braços abertos" pelos guias paquistaneses e chamou o país de um lugar seguro para os turistas. 

"Este é um exemplo perfeito de caçadores e aldeões se unindo para um objetivo comum de conservação", disse ele.