PUBLICIDADE
Topo

Fox News se desculpa após convidado chamar Greta Thunberg de doente mental

Greta Thunberg - Lionel Bonaveture/AFP
Greta Thunberg Imagem: Lionel Bonaveture/AFP

Do UOL, em São Paulo

24/09/2019 13h12

A emissora americana Fox News pediu desculpas ontem à ativista pelo clima Greta Thunberg, após um especialista tê-la chamado de "doente mental" durante um de seus programas. Greta, que tem 16 anos, tem síndrome de Asperge, como ela mesma já contou em seu perfil do Twitter.

Greta deu um discurso caloroso ontem durante a cúpula do clima na Assembleia Geral da ONU, no qual acusou líderes de "roubarem meus sonhos e minha infância com suas palavras vazias". Em resposta, o comentarista político Michael Knowles a chamou de "doente mental" durante o programa The Story.

"O movimento da histeria climática não tem a ver com ciência", disse Knowles. "Se fosse sobre ciência, seria liderada por cientistas, e não por políticos e uma criança sueca com doença mental que está sendo explorada por seus pais e pela esquerda internacional", disse.

O apresentador Chris Hahn o interrompeu e disse que ele deveria ter vergonha de atacar uma criança. "Você está atacando uma criança. Você é um homem crescido". O que Knowles respondeu: "Ela é doente mental. Ela tem autismo. Ela tem transtorno obsessivo-compulsivo. Ela tem mutismo seletivo. Ela teve depressão".

A emissora pediu desculpas pelos comentários e disse que não tem a intenção de convidá-lo para outros programas. Além de ser comentarista, ele escreve artigos de opinião no site da Fox.

"O comentário feito por Michael Knowles, que foi convidado do The Story hoje à noite, foi vergonhoso - pedimos desculpas a Greta Thunberg e aos nossos telespectadores", disse um porta-voz da Fox News ao Buzzfeed News.

O comentarista se defendeu no Twitter, dizendo que não é vergonhoso "viver com doença mental", mas voltou a acusar os pais da menina de utilizá-la politicamente.

"Sua mãe escreveu um livro sobre seus problemas mentais. Não há nada de vergonhoso em viver com transtornos mentais. O que é vergonhoso é explorar uma criança - particularmente uma criança com transtornos mentais - para promover sua agenda política", escreveu.

Greta se tornou uma das vozes dos jovens que estão protestando contra as mudanças climáticas. Ela própria escreveu em seu perfil no Twitter que possui Asperger e contou como se tornar uma ativista a ajudou a superar barreiras sociais.

"Eu tenho Asperger e isso significa que às vezes sou um pouco diferente da norma. E - dadas as circunstâncias certas - ser diferente é uma superpotência", escreveu ela em uma série de tuítes sobre o tema.

Esta manhã, o tema Asperger estava nos trending topics do Twitter mundial e brasileiro. Alguns usuários estavam utilizando da condição de Greta para desqualificar sua luta como ativista, enquanto outros repudiavam essa atitude.

O próprio presidente Donald Trump foi criticado depois de postar no Twitter um comentário irônico com relação à maneira como Greta discursou na ONU. "Ela parece uma jovem muito feliz, ansiosa por um futuro brilhante e maravilhoso. Que bom ver!".

Internacional