Topo

Bolívia: Policiais barram entrada de ex-presidente do Senado no Congresso

Vídeo mostra Adriana Salvatierra tentando passar pelos oficiais e sendo, de forma truculenta, empurrada para trás - Reprodução/Twitter
Vídeo mostra Adriana Salvatierra tentando passar pelos oficiais e sendo, de forma truculenta, empurrada para trás Imagem: Reprodução/Twitter

do UOL, em São Paulo

13/11/2019 18h50

Na Bolívia, uma barreira policial impediu nesta quarta-feira (13) que Adriana Salvatierra, ex-presidente do Senado e segunda na linha de sucessão de Evo Morales, entrasse na Praça Murillo, em La Paz, onde está localizado o Congresso do país. Vídeos divulgados em redes sociais mostram a senadora tentando passar pelos oficiais e sendo, de forma truculenta, empurrada para trás.

Ligada ao MAS (Movimento para o Socialismo), mesmo partido de Morales, Salvatierra renunciou à presidência do Senado no último domingo (10), logo após o ex-presidente boliviano também confirmar que deixaria o cargo. A senadora argumenta, no entanto, que sua renúncia deve ser lida pelo Congresso para ser efetivada, o que ainda não aconteceu por falta de quórum.

Por isso, ainda segundo Salvatierra, ela teria direito a continuar ocupando a presidência da Casa. Isso, inclusive, a colocaria de volta na linha de sucessão da presidência da Bolívia, que vive um vácuo de poder desde a saída de Morales.

Além disso, continua, ela abdicou apenas da presidência do Senado, e não do cargo de senadora em si.

No Brasil, o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) condenou a ação policial contra Salvatierra. "Adriana quer abrir sessão, há quórum de 2/3 [dos parlamentares bolivianos], mas a repressão não permite. Alguém ainda acha que não foi golpe?!", escreveu o petista no Twitter.

Internacional