PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Esse conteúdo é antigo

EUA negam que teste com 52 caças tenha a ver com Irã: "Coincidência"

Recentemente, Trump ameaçou atingir 52 alvos no Irã, mesmo número de aeronaves usadas no teste da Força Aérea dos EUA - Brendan Smialowski/AFP
Recentemente, Trump ameaçou atingir 52 alvos no Irã, mesmo número de aeronaves usadas no teste da Força Aérea dos EUA Imagem: Brendan Smialowski/AFP

Do UOL, em São Paulo

07/01/2020 19h02

A Força Aérea dos Estados Unidos conduziu hoje um teste com seus novos caças F-35A, lançando 52 deles de sua base em Utah. Os militares insistem ser coincidência o fato de o número de aeronaves ser o mesmo recentemente citado pelo presidente Donald Trump, que ameaçou atingir 52 alvos no Irã.

"Assim como o timing [para o teste], o número é apenas uma coincidência. É o máximo [de aeronaves] que podemos colocar no ar", explicou Micah Garbarino, porta-voz da base da Força Aérea em Hill.

Segundo o jornal The Guardian, o último caça F-35A foi entregue aos militares em dezembro, quatro anos após o primeiro, elevando a força total do serviço ativo para 78 aeronaves.

O exercício de hoje representou a conquista da capacidade total de combate para o F-35, considerado o programa militar mais caro de todos os tempos, ainda que marcado por controvérsias e discussões técnicas.

Em várias ocasiões, Trump expressou "fascínio" pela aeronave, tendo dito que o F-35A era "quase como um caça invisível". O modelo é realmente pequeno, e foi projetado para ser menos visível nos radares do que as aeronaves convencionais.

O plano dos EUA, ainda de acordo com o Guardian, é comprar mais de 2600 aeronaves até 2037.

Vai rolar uma Terceira Guerra Mundial?

UOL Notícias

Internacional