PUBLICIDADE
Topo

Presidente do Quênia pede desculpas por violência diante do coronavírus

Presidente Uhuru Kenyatta se referiu a "alguns excessos" cometidos pela polícia - Thomas Mukoya/Reuters
Presidente Uhuru Kenyatta se referiu a "alguns excessos" cometidos pela polícia Imagem: Thomas Mukoya/Reuters

Do UOL, em São Paulo

02/04/2020 11h04

O presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, pediu desculpas "por alguns excessos" cometidos pela polícia para conter a população diante do toque de recolher determinado no país por conta do novo coronavírus.

Relatos de pessoas sendo alvos de agressões com cassetetes e gás lacrimogêneo em ações policiais têm aumentado no país. O toque de recolher foi oficializado na última sexta-feira (27) e os moradores devem permanecer em suas casas a partir das 19h.

"Quero pedir desculpas a todos os quenianos talvez por alguns excessos que foram conduzidos ou aconteceram. Mas quero garantir que, se trabalharmos juntos, se todos entendermos que esse problema precisa de todos nós, e se todos seguirmos na mesma direção, venceremos", afirmou o presidente em um discurso na TV local, segundo informações da CNN.

Dados da Universidade Johns Hopkins mostram que o Quênia registrou 81 casos confirmados da covid-19 e uma morte.

Coronavírus