PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Esse conteúdo é antigo

Petição com 2 mi de assinaturas pede justiça a negro enforcado por polícia

Manifestantes protestam após a morte de Elijah McClain, homem negro que morreu em 2019 após ser enforcado por policiais de Aurora - Hyoung Chang/MediaNewsGroup/The Denver Post via Getty Images
Manifestantes protestam após a morte de Elijah McClain, homem negro que morreu em 2019 após ser enforcado por policiais de Aurora Imagem: Hyoung Chang/MediaNewsGroup/The Denver Post via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

24/06/2020 16h00

Mais de 2 milhões de pessoas assinaram uma petição online que pede às autoridades do Colorado, nos Estados Unidos, para reabrirem a investigação sobre a morte de Elijah McClain, homem negro de 23 anos que morreu em agosto do ano passado após ser enforcado por policiais de Aurora.

A petição pede que o promotor de Dave County, Dave Young, o prefeito Mike Coffman e o Departamento de Polícia de Aurora realizem "uma investigação mais aprofundada" e retirem os policiais envolvidos de serviço.

Segundo a petição, McClain estava voltando para casa de uma loja de conveniência por volta das 22h30 em 24 de agosto de 2019. De acordo com um comunicado, a polícia recebeu a ligação sobre um "homem suspeito" usando uma máscara de esqui. Os policiais chegaram e tentaram impedir McClain, que eles disseram estar "resistindo ativamente" e tentando pegar uma de suas armas. Eles detiveram o homem pelo pescoço, restringindo o fluxo sanguíneo para o cérebro.

McClain ficou inconsciente. O corpo de bombeiros e os paramédicos foram chamados. Nas mais de três horas de filmagens de uma câmera presa ao corpo de um policial, McClain pode ser visto sendo mantido no chão, vomitando, soluçando e dizendo: "Não consigo respirar". A certa altura, um policial também diz para ele: "Se você continuar fazendo baderna, eu vou trazer meu cachorro para fora e ele vai morder você".

O então chefe da polícia de Aurora, Nick Metz, classificou o comentário do policial como "não profissional". "Esse comentário foi tratado com esse policial por meio de uma ação corretiva por escrito. Quero pedir desculpas à família porque, quando viram e ouviram aquilo, era algo que realmente os perturbou muito. Por isso, peço minhas mais sinceras desculpas", declarou.

McClain foi transportado na ambulância, onde o paramédico determinou que ele não estava respirando e não tinha pulso. O homem teve morte cerebral constatada três dias depois. Uma autópsia não conseguiu determinar se sua morte foi um acidente, devido a causas naturais, ou homicídio.

Em novembro, a procuradoria não registrou acusações criminais. Já em fevereiro, um comitê de revisão afirmou que os policiais tinham um motivo legal para deter McClain e que o uso da força, incluindo o estrangulamento, "estava dentro da política e consistente com o treinamento".

O jornal The Sentinel Colorado publicou que a morte de McClain provocou protestos na cidade e que o caso voltou a chamar atenção após a morte de George Floyd, segurança negro morto por um policial branco no mês passado.

Internacional