PUBLICIDADE
Topo

Motorista atropela manifestantes em Seattle e deixa duas feridas gravemente

Colaboração para o UOL, em São Paulo

04/07/2020 21h10

As autoridades de Seattle informaram que duas mulheres estão gravemente feridas após serem atropeladas hoje (4) por um motorista, que avançou sobre uma multidão de manifestantes em uma estrada fechada.

Segundo o relatório policial divulgado pela Patrulha Estadual de Washington, Dawit Kelete, de 27 anos, furou o bloqueio feito por veículos e acelerou em direção aos manifestantes que, aos gritos, tentaram avisar a todos que um carro avançava.

Summer Taylor, 24, de Seattle, está em estado crítico, enquanto Diaz Love, 32, de Portland, Oregon, foi levada em estado grave para uma UTI de acordo com a porta-voz do Harborview Medical Center, Susan Gregg.

Uma manifestante estava filmando o protesto em uma transmissão ao vivo de quase duas horas no Facebook quando o vídeo foi interrompido durante o atropelamento. Diversos gritos de aviso podem ser ouvidos, até que a câmera começa a tremer e o som do impacto seja ouvido.

Outro vídeo mostra o carro branco invadindo a manifestação e indo em direção à multidão. O carro desvia da barreira feita por outros veículos e acerta as duas mulheres que são arremessadas ao ar.

O motorista fugiu do local após atingir os manifestantes, disse um policial. Um manifestante perseguiu o motorista com seu próprio veículo por mais de um quilômetro até detê-lo. A polícia foi chamada e Dawit Kelete foi preso. Ele teve fiança negada.

As autoridades tentam descobrir o motivo e o local por onde Kelete acessou a interestadual, fechada pela patrulha estadual por mais de uma hora antes de as mulheres serem atingidas.

Seattle tem sido palco de agitação prolongada após o assassinato de George Floyd pela polícia em 25 de maio em Mineápolis, o que provocou protestos em todo o país.

"Minha esperança é que, com o resultado dessa tragédia, os manifestantes reconsiderem o desejo de estar na interestadual porque não posso garantir segurança", disse o capitão da patrulha estadual de Washington, Ron Mead.

Ele enfatizou que a via expressa "simplesmente não é um lugar seguro" para os pedestres e disse que espera que os manifestantes parem o que ele chamou de "comportamento ilegal" ao bloquear a interestadual.

A prefeita de Seattle Jenny Durkan disse que a cidade está ao lado dos amigos e familiares das vítimas. "Ninguém deve arriscar sua vida por exigir melhor de nossa cidade, estado e país", disse Durkan no Twitter.

Internacional