PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
5 meses

Alpinista tem recuperação inesperada após 'morrer por 45 minutos'

Michael Knapinski se perdeu em monte nos EUA devido às condições climáticas adversar - Susan Gregg/University of Washington Medicine
Michael Knapinski se perdeu em monte nos EUA devido às condições climáticas adversar Imagem: Susan Gregg/University of Washington Medicine

Colaboração para o UOL, em São Paulo

16/11/2020 12h56

Michael Knapinski voltou a vida depois do coração dele parar em pleno hospital. Ele praticava escalada no Parque Nacional do Monte Rainier, em Washington, nos EUA, quando se perdeu na crescente neve que caía e se viu preso pelas duras condições climáticas. Encontrado no dia seguinte, ontem, após horas de buscas conduzidas por helicóptero, ele protagonizou uma "recuperação milagrosa", na visão dos médicos.

Knapinski foi içado por uma aeronave de resgate e conduzido ao Centro Médico de Harborview, em Seattle. Na chegada, o homem de 45 anos estava inconsciente, apresentava sinais de hipotermia e seu pulso era baixo, informa o Dr. Nick Johnson, um dos médicos presentes na sala de emergência. Minutos depois, o coração do paciente parou de bater.

Pelos próximos 45 minutos, médicos e enfermeiros executaram manobras de ressuscitação e conectaram Knapinski a uma máquina que filtrava o sangue por um oxigenador, antes de enviá-lo de volta ao coração e pulmões do paciente.

"Ele estava à beira da morte", disse o Dr. Sam Arbabi, diretor médico do centro de cirurgia do hospital em Harborview. Mas hoje, Knapinski já estava sentado na cama dele de hospital, com coração e pulmões funcionando perfeitamente, e capaz de expressar gratidão pelo resgate.

"Ele estava tão morto quanto alguém fica antes de realmente morrer", destaca o Dr. Arbabi. "Para essa pessoa voltar e o estado mental dela ser ótimo, é o mais milagroso que podemos ver na medicina".

Como ele se perdeu

Knapinski detalhou ao jornal norte-americano The Seattle Times como ele se perdeu no Parque Nacional do Monte Rainier: Ele e um amigo decidiram se separar e combinaram a reunião para uma área do parque chamada de Paraíso. Knapinski usava calçados de neve, enquanto o amigo viajava com esquis.

Entretanto, o tempo piorou, atingindo condições de nevasca, segundo Knapinski. "Eu não conseguia enxergar qualquer coisa que fosse". A última coisa que ele se lembra é de tentar dar passos curtos, antes de apagar. "Não sei o que aconteceu. Acho que eu caí", diz.

Internacional