PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
5 meses

Neta de vítima da Família Manson é assassinada a facadas nos EUA

Ariana Wolk foi encontrada morta em seu apartamento nos EUA - Reprodução
Ariana Wolk foi encontrada morta em seu apartamento nos EUA Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

09/12/2020 20h54

A neta de uma das vítimas da Família Manson foi assassinada a facadas, informou hoje o Daily Mail. O caso aconteceu em julho deste ano, mas a polícia só divulgou recentemente mais informações sobre o que houve.

Segundo o site, Ariana Wolk, neta de Rosemary LaBianca — que morreu nas mãos dos seguidores de Charles Manson em 1969 —, foi encontrada em uma "piscina de sangue" no próprio apartamento em Denver, nos Estados Unidos. Ela deixa um filho, Xander.

Jose Sandoval-Romero foi acusado de ter cometido o crime, confessando a ação quando a polícia o pegou quatro dias depois.

No depoimento, Sandoval-Romero admitiu que esfaqueou Ariana, fugiu do local e jogou fora as roupas ensanguentadas da vítima antes de fugir para Colorado Springs.

De acordo com um depoimento da prisão do suspeito, uma autópsia descobriu que Ariana tinha "várias facadas no pescoço e aparentes facadas defensivas nos braços e nas mãos", indicando que ela lutou contra seu agressor.

O assassinato brutal lembra o caso da avó, Rosemary, que foi morta junto com o marido Leno em Los Angeles, no dia 10 de agosto de 1969. O casal, que era dono de um mercado, foi esfaqueado dezenas de vezes.

Na época dos crimes, a mãe de Ariana, Suzan, tinha apenas 21 anos e não morava com sua mãe e seu padrasto, mas estava entre aqueles que encontraram os corpos no dia seguinte.

Em contato com o Daily Mail, Suzan afirmou que estava muito triste para comentar sobre a morte da filha, e afirmou que está "de luto".

A amiga Maya Baldwin disse que Ariana era uma "pessoa linda, doce e uma mãe amorosa".

"Saber de sua morte assassina foi um soco no estômago. Coitado do filho dela. Seus últimos momentos... o terror que ela deve ter sentido, tudo tomou conta de minha mente", disse Maya.

Internacional