PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Esse conteúdo é antigo

Vice de Trump, Mike Pence é vacinado ao vivo para encorajar população

Do UOL, em São Paulo

18/12/2020 10h20Atualizada em 18/12/2020 11h08

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, de 61 anos, recebeu a primeira dose da vacina contra o novo coronavírus hoje, na Casa Branca. A aplicação foi feita em público, por meio de uma transmissão ao vivo na TV, para encorajar a população norte-americana a ser vacinada.

"Não senti nada", disse Pence após receber a vacina. A dose desenvolvida pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech também foi aplicada na vice-primeira dama, Karen Pence, e no cirurgião-chefe do governo, Jerome Adams.

A primeira vacina a ser aprovada nos Estados Unidos foi a da Pfizer, no início da semana. As doses começaram a ser distribuídas com prioridade aos profissionais de saúde e pessoas de grupos de risco. Até o momento, o presidente Donald Trump, que foi infectado em outubro, não indicou quando irá se vacinar.

A expectativa é que o presidente eleito Joe Biden receba a primeira dose da vacina diante das câmeras na próxima semana.

Trump diz que 2ª vacina foi aprovada; FDA não confirma

Donald Trump comunicou hoje que um segundo imunizante contra a covid-19, esse desenvolvido pela farmacêutica americana Moderna, também foi aprovado no país. O comunicado foi feito na conta oficial do Twitter do presidente dos EUA.

"A vacina Moderna foi esmagadoramente aprovada. Distribuição começará imediatamente", escreveu.

Apesar da declaração de Trump, a FDA (Comitê Consultivo da Administração de Medicamentos e Alimentos), agência reguladora similar à brasileira Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e responsável por autorizar o uso de vacinas, ainda não confirmou o registro do imunizante da Moderna.

O uso emergencial foi solicitado empresa no dia 30 de novembro. A eficácia de 94,1% do produto foi confirmada pela FDA no dia 15 de dezembro.

Ontem, um comitê de cientistas norte-americanos se reuniu e votou a favor da aprovação do imunizante produzido pela Moderna contra a covid-19. A autorização oficial, porém, ainda não foi dada. A previsão é que 6 milhões de doses da vacina sejam distribuídas em cidadãos norte-americanos.

Internacional