PUBLICIDADE
Topo

Internacional

CEO de startup de R$ 10 bi é demitido após consumir LSD antes de reunião

Justin Zhu foi acusado de ter usado uma pequena dose de LSD antes de uma reunião com investidores - Reprodução/LinkedIn
Justin Zhu foi acusado de ter usado uma pequena dose de LSD antes de uma reunião com investidores Imagem: Reprodução/LinkedIn

Colaboração para o UOL, em São Paulo

30/04/2021 14h35

Consumir LSD no local de trabalho, um hábito polêmico — mas nada incomum no Vale do Silício — fez com que Justin Zhu, CEO da startup de marketing Iterable, fosse demitido da empresa na segunda-feira (26), conforme o executivo relatou ao site Bloomberg.

Zhu disse que teria consumido microdoses da droga psicodélica antes de um encontro com investidores em 2019, na intenção de "melhorar seu foco".

A "micro-dosagem" da substância, que é ilegal nos Estados Unidos, é uma tendência entre os trabalhadores da região do Vale — considerada polo de tecnologia mundial. Tanto o magnata da Microsoft, Bill Gates, quanto o falecido cofundador da Apple, Steve Jobs, já reconheceram que experimentaram a substância.

A saída do CEO da Iterable foi anunciada pelo cofundador da empresa, Andrew Boni, em um e-mail obtido pelo Bloomberg. A publicação diz que Boni se apresentou como novo executivo-chefe.

No comunicado sobre a saída do CEO, a Iterable afirma que o executivo violou as políticas, os valores e o manual de comportamento dos funcionários da companhia, que tem sede em São Francisco.

A Iterable é avaliada em 2 bilhões de dólares — cerca de R$ 10,8 bilhões — e foi inaugurada em 2013. Neste ano de 2021, entrou para o 89º lugar da lista da Forbes das Melhores Startups Empregadoras.

Internacional