PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Americana recebe 150 caixas da Amazon por engano e inicia doação

Moradora de Nova York (EUA) não entendia por que as caixas chegavam em sua casa - Reprodução/Facebook
Moradora de Nova York (EUA) não entendia por que as caixas chegavam em sua casa Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/06/2021 18h56Atualizada em 22/06/2021 18h56

A empresária Jillian Cannan recebeu uma encomenda inusitada em sua casa em Nova York, nos Estados Unidos. Acostumada a fazer compras online com frequência, dessa vez ela foi surpreendida com 150 caixas entregues pela Amazon, nenhuma delas realmente pedida pela mulher.

Depois que mais de 100 pacotes com silicones para montar máscaras de proteção contra a covid-19 chegaram em seu jardim, a norte-americana ligou para seu sócio presumindo que os pedidos fossem dele. Mas para sua surpresa, o dono do material não era identificado.

"Quando comecei a receber os pacotes, liguei para a Amazon para tentar devolvê-los, mas eles me explicaram que eu deveria ficar com eles, já que foram entregues em minha casa", explicou Cannan à NBC.

As horas passavam e as caixas não paravam de chegar, totalizando 150 pacotes. Segundo uma publicação no Facebook, a empresária ainda conseguiu impedir que mais 850 caixas fossem enviadas ao seu endereço.

"No começo, eu estava convencida de que era um golpe, ou talvez alguém tentando limpar seu armazém", disse Cannan, que descartou a hipótese quando descobriu que os itens eram todos idênticos.

Cercada por milhares de silicones, usados para estruturar máscaras, a mulher discutiu com seus filhos qual finalidade poderia dar àquelas encomendas. Ela e seu sócio logo decidiram doar a maioria das proteções a um hospital para evitar qualquer desperdício.

"Nós estávamos pensando: 'como podemos tirar algo positivo de toda essa história hilária?'", disse Cannan. "Então, meu parceiro de negócios e eu entramos em contato com hospitais infantis e decidimos que queremos fazer um pequeno kit com uma máscara facial em branco e alguns lápis de cor com adesivos, para que as crianças possam brincar enquanto estão no hospital. "

A americana pediu que a Amazon fornecesse os itens restantes para formar os kits, mas teve o primeiro pedido negado. Hoje, porém, ela recebeu um sinal positivo da multinacional e o incentivo de outras empresas, segundo a CNN.

Ela já está montando os kits junto com seus filhos e espera finalizar as entregas aos hospitais ainda nesta semana.

Internacional