PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Mulher é julgada por furtar diamantes de R$ 30 mi e trocá-los por pedras

Furto de diamantes ocorreu em uma joalheria Boodles, no centro de Londres - Reprodução/Boodles
Furto de diamantes ocorreu em uma joalheria Boodles, no centro de Londres Imagem: Reprodução/Boodles

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/07/2021 18h05Atualizada em 22/07/2021 18h05

Uma mulher de 60 anos está sendo julgada por um tribunal no Reino Unido pelo furto de diamantes estimados em £ 4,2 milhões, ou aproximadamente R$ 30 milhões. Ela teria se passado por uma especialista e trocado as joias por pedras de jardim.

O caso ocorreu em 10 de março de 2016, em uma joalheria Boodles, em Londres, onde Lulu Lakatos supostamente fingiu examinar sete pedras para furtá-las, segundo o jornal britânico The Guardian.

Apresentando-se como gemóloga — pessoa que estuda pedras preciosas — Lakatos teria simulado que avaliaria os objetos em nome de um comprador israelense, que se apresentava como "Simon Glas".

Cerca de um mês antes, o presidente do grupo Boodles, Nicholas Wainwright, havia se encontrado com o suposto "Glas" e um parceiro de negócios chamado Alexander". Eles combinaram a venda dos diamantes na ocasião.

Contudo, no momento de sua ida à joalheria, Lakatos teria aproveitado a distração de Wainwright, que foi atender um telefonema, e colocou a bolsa de joias dentro de uma mala.

Uma funcionária percebeu tudo e pediu que a "gemóloga" colocasse o objeto de volta na mesa. Ela, entretanto, trocou aquela mala por uma outra bolsa idêntica, que continha as pedras de jardim.

A acusada saiu da loja e encontrou duas mulheres em um estabelecimento próximo. Trocou de roupa em um banheiro público e pegou um trem para fora de Londres.

No dia seguinte ao crime, funcionários perceberam o roubo, que incluiu a perda de um diamante em forma de coração de 20 quilates avaliado em mais de R$ 15 milhões e um diamante rosa de quase R$ 8 milhões.

Em setembro do ano passado, Lakatos foi presa na França, sendo em seguida extraditada para o Reino Unido. Por enquanto, dois integrantes da gangue responsável pelo incidente já foram presos.

Internacional