PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Depois de um ano, Argentina faz acordo para comprar vacinas da Pfizer

Carla Vizzotti, ministra da Saúde da Argentina, pediu que os cidadãos continuem se protegendo contra a transmissão do coronavírus - Reprodução/Youtube Casa Rosada
Carla Vizzotti, ministra da Saúde da Argentina, pediu que os cidadãos continuem se protegendo contra a transmissão do coronavírus Imagem: Reprodução/Youtube Casa Rosada

Do UOL, em São Paulo

27/07/2021 22h32

O governo da Argentina anunciou hoje que fez um acordo com a farmacêutica Pfizer para obter 20 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Os imunizantes devem ser entregues até o final deste ano.

O anúncio foi feito hoje durante uma coletiva de imprensa da ministra da Saúde, Carla Vizzotti. Segundo ela, o governo pretende usar as doses da Pfizer para imunizar adolescentes, uma vez que o laboratório já obtém autorização para aplicação em menores de idade.

O governo argentino passou 13 meses negociando a compra das vacinas com a Pfizer. O assunto foi uma constante na imprensa local e a oposição cobrava que os termos do contrato fossem expostos.

No Brasil, o contrato para obtenção das vacinas da Pfizer também demorou meses para sair. Aqui, porém, o motivo foi que a empresa enviou dezenas de e-mails para o governo, que não foram respondidos.

Além disso, a ministra da Saúde também anunciou que realizou o pagamento do primeiro lote de vacinas da Cansino, com 200 mil doses. No total, o acordo com a farmacêutica chinesa prevê a aquisição de 5,4 milhões de doses, que devem ser entregues em 2022. No ano que vem o país também deve receber 20 milhões de doses da Moderna.

"Nunca estivemos tão próximos de encontrar o alívio que tanto buscamos no último ano e meio", disse Carla Vizzotti. Ela, porém, deixou claro que a situação do país não está resolvida e que é preciso continuar tomando os cuidados para evitar a contaminação.

Internacional