PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
3 meses

Homem morre 3 dias após médico mandá-lo para casa: "Não há nada de errado"

Raymond Scougall, 40 anos, queria ver um médico em 23 de dezembro, pois estava com muita dor provocada por uma hérnia decorrente de uma facada há nove anos. - UGC MSR
Raymond Scougall, 40 anos, queria ver um médico em 23 de dezembro, pois estava com muita dor provocada por uma hérnia decorrente de uma facada há nove anos. Imagem: UGC MSR

Colaboração para o UOL, de Balneário Camboriú (SC)

23/01/2022 16h44

Um homem morreu três dias após procurar atendimento médico e ser mandado para casa em Glasgow, na Escócia. Raymond Scougall, de 40 anos, procurou por ajuda em 23 de dezembro após sentir muita dor provocada por uma hérnia, decorrente de uma facada há nove anos.

Mas, em vez de ser examinado, ele teria sido informado de que "não tinha motivos" para consultar um médico e foi mandado para casa. Porém, no dia 26 de dezembro foi encontrado morto no chão de seu quarto por seu irmão, Gary. As informações são do Daily Record.

Os irmãos foram esfaqueados por um homem em 2012, que acabou sendo preso. Ambos precisaram de cirurgia para os ferimentos, mas cada um deles se recuperou de maneiras diferentes.

Gary se recuperou bem do procedimento. Porém, Raymond ficou tão gravemente ferido que precisou passar por cinco procedimentos cirúrgicos, na tentativa de consertar uma hérnia grave em seu estômago.

Irmãos Raymond (esquerda) e Gary Scougall ficaram com sequelas após serem esfaqueados em 2016 - Daily Record - Daily Record
Irmãos Raymond (esquerda) e Gary Scougall ficaram com sequelas após serem esfaqueados em 2016
Imagem: Daily Record

'Hérnia do tamanho da cabeça de um bebê'

"Quando ele morreu, a hérnia de Raymond era do tamanho da cabeça de um bebê saindo de seu estômago. [...] Ele continuou pedindo ajuda ao seu médico de família e para alívio da dor, mas nenhum dos dois foi dado a ele. [...] Minha mãe o levou às consultas do NHS [equivalente ao SUS] quando ele precisava ir ao hospital e para a cirurgia, mas eles nunca lhe deram muita ajuda", diz Gary.

"Eles disseram que a parede do estômago não aguentava mais os intestinos. A parede do estômago não aguentava a pressão da hérnia. [...] Ele estava com dores constantes há anos e estava piorando. Ele entrou e saiu de seu médico pedindo alívio da dor, mas não estava recebendo nada", complementa o irmão.

Gary explicou que o próprio irmão fazia todos os dias a limpeza do buraco aberto no estômago. "Ele estava em agonia".

No dia 23 de dezembro, ele foi com minha mãe ao clínico geral porque estava com muita dor. Mas o médico disse a ele: 'Não há necessidade de você estar aqui' e disse à minha mãe: 'Não há nada de errado com ele'.

Uma autópsia realizada há dois dias concluiu que a morte de Raymond estava relacionada à sua hérnia. "A autópsia disse que foi causado por uma perda de sangue depois que sua hérnia estourou na parede do estômago", contou sua mãe, Christina.

Internacional